• Últimas Notícias

    sexta-feira, 26 de junho de 2020

    Caixa divulga o calendário de quarto lote da 1º parcela do auxílio emergencial para mais 1,1 milhão

    O presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, informou nesta sexta-feira (26) que o banco pagará o quarto lote da primeira parcela do auxílio para mais 1,1 milhão de trabalhadores a partir deste sábado (27).

    De acordo com o site da revista Exame, o comunicado foi realizado durante coletiva de imprensa, e o calendário de pagamento termina no sábado do próximo final de semana, próximo dia 4 de julho.

    O atendimento será escalonado pelo mês de nascimento do beneficiário. Assim, amanhã serão comtemplados as pessoas que comemoram aniversário em janeiro e fevereiro. Na próxima terça-feira (30), será a vez dos nascidos em março e abril. 

    Quarta-feira (1º) aqueles cujo natalício é verificado em maio e junho. Quinta (2) e sexta (3), respectivamente, julho e agosto; e setembro e outubro. Por fim, no sábado (4), será a vez dos nascidos nos últimos dois meses do ano - novembro e dezembro.

    PF deflagra operação de combate a usurpação de minério e lavagem de dinheiro no RN

    A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (26) a Operação Siroco, com o objetivo de apurar usurpação de minério, lavagem de capitais e crimes ambientais.

    As investigações apuram a extração ilegal de minério, que estaria sendo utilizado em construção civil, principalmente na construção de parques eólicos no Rio Grande do Norte. A conduta, em tese, importas nos delitos previstos no art. 55 da Lei 9.605/98 e art. 2º da Lei 8.176/91, além de lavagem de capitais (art. 1º da Lei 9.613/1998) ante a possível dissimulação da origem criminosa da matéria-prima extraída irregularmente, informou a Polícia Federal.

    Na operação, os policiais cumprem três mandados de busca e apreensão expedidos pela 15ª Vara Federal do RN, em Natal e em Fortaleza (CE). A operação do RN foi deflagrada em coordenação com a Operação Anemoi, deflagrada também nesta sexta-feira, que investiga fatos similares praticados pelos mesmos supeitos no estado do Ceará.

    “A investigação realizada no RN, utilizando-se de modernas técnicas e diligências de campo, logrou vincular empresas de grande porte a treze áreas em que houve exploração mineral indevida nos anos de 2012 a 2016”, acrescentou a PF.

    Os alvos foram separados por modelagem em sistema de informação geográfica, com utilização de bandas espectrais de imagens de satélite da NASA. Uma vez que a modelagem indicou locais suspeitos de extração ilegal de minério, os dados foram encaminhados ao Setor de Inteligência Geoespacial da Diretoria de Inteligência Policial da PF para análise.

    Bolsonaro: auxílio deve ter novas parcelas de R$ 500, R$ 400 e R$ 300

    O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (25) que o auxílio emergencial vai pagar um adicional de R$ 1,2 mil, que serão divididos em três parcelas.

    "Vamos partir para uma adequação. Deve ser, estamos estudando, R$ 500, R$ 400 e R$ 300", afirmou o presidente durante sua live semanal nas redes sociais. Ele estava ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes, que também confirmou que a terceira parcela do auxílio emergencial, no valor de R$ 600, começa a ser paga no sábado (27).

    Ao todo, o programa atende a cerca de 60 milhões de pessoas, e é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados, como forma de fornecer proteção emergencial no enfrentamento à crise causada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

    Agência Brasil

    Maior raio do mundo é registrado no Brasil, com 709 km de extensão, diz Organização Meteorológica Mundial

    A Organização Meteorológica Mundial (OMM) anunciou nesta sexta-feira (26) o registro de dois recordes de raios: o mais extenso em distância percorrida, e o mais longo em segundos. São os “megaflashes”.

    O recorde de raio mais extenso é do Brasil: Ele percorreu 709 km em uma linha horizontal, cortando o Sul do Brasil, em 31 de outubro de 2018. É mais que o dobro do recorde anterior, registrado em Oklahoma (EUA), com 321 km.

    O recorde de raio com duração mais longa é da Argentina: Ele durou 16,73 segundos a partir de um flash que começou no norte da Argentina, em 4 de março de 2019. Ele também é mais que o dobro do recorde anterior, de 7,74 segundos registrado em Provence-Alpes-Côte d’Azur, França em 30 de agosto de 2012.

    O novo recorde foi estabelecido devido a uma nova tecnologia de imagens por satélite. Mas, segundo a OMM, tanto o registro anterior quanto o novo usaram a mesma metodologia para medir a extensão do flash.

    As descobertas foram publicadas pelas Cartas de Pesquisa Geofísica da American Geophysical Union, antevéspera do Dia Internacional da Segurança contra Raios, em 28 de junho.

    “Esses são registros extraordinários de eventos únicos de relâmpagos. Eventos climáticos extremos são medidas vivas do que a natureza é capaz, bem como o progresso científico em poder fazer essas avaliações. É provável que ainda haja extremos ainda maiores e que possamos observá-los na medida que a tecnologia de detecção de raios melhorar ”, disse o professor Randall Cerveny, relator-chefe de extremos climáticos da OMM.

    “Isso fornecerá informações valiosas para o estabelecimento de limites à escala de raios – incluindo megaflashes – para questões de engenharia, segurança e científicas”, disse ele.

    Os raios representam um grande risco à vida de muitas pessoas, todos os anos. As descobertas destacam importantes preocupações de segurança pública contra raios para nuvens eletrificadas, onde os flashes podem percorrer distâncias extremamente grandes.

    Raios no Brasil

    De acordo com o Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), 78 milhões de raios caem todos os anos no Brasil. Entre 2000 e 2019, 2,1 mil pessoas morreram devido à incidência de raios –a cada 50 mortes por raio no mundo, 1 é registrada no Brasil. O estado com mais mortes por raios, de 2000 a 2019, foi São Paulo, com 327 óbitos.

    Veja abaixo os números:

    78 milhões de raios caem todos os anos no Brasil

    A cada 50 mortes por raio no mundo, 1 é no Brasil

    De 2000 a 2019, 2.194 pessoas morreram no Brasil, por incidência de raios

    O estado que mais registrou mortes por raios no período foi SP (327), seguido por MG (175) e PA (162)

    26% das mortes ocorreram na área rural; 21% em casa; 9% próximo à água; 9% debaixo de árvores; 8% em áreas cobertas; 7% em áreas descampadas; entre outros.

    Segundo o Elat, a incidência de raios diminuiu 20% na cidade de São Paulo no período inicial da quarentena. Segundo o cientista Osmar Pinto Junior, coordenador do Elat, o motivo foi a queda na emissão de poluentes atmosféricos, com a redução de veículos nas ruas.

    G1