• Últimas Notícias

    sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

    Coronavírus: o que você precisa saber

    Resultado de imagem para coronavirus"Um novo Coronavírus chinês, primo do vírus da SARS, infectou centenas de pessoas desde o início do surto em Wuhan, na China, em dezembro. O cientista Leo Poon, virologista da Escola de Saúde Pública da Universidade de Hong Kong, que primeiro decodificou o vírus, acredita que esse teve origem em um animal e se espalhou para os seres humanos.

    "O que sabemos é que causa pneumonia e, em seguida, não responde ao tratamento com antibióticos, o que não é surpreendente", disse Poon.

    Não está claro o quão mortal o Coronavírus de Wuhan será, mas as taxas de mortalidade atualmente são mais baixas que o MERS e o SARS. Os especialistas enfatizam que isso mudará à medida que o surto se desenvolver.A Organização Mundial da Saúde ofereceu orientação aos países sobre como eles podem se preparar para isso, incluindo como monitorar os doentes e como tratar os pacientes. Aqui está o que você deve saber sobre os Coronavírus.

    O que é um Coronavírus?

    O Coronavírus é um grupo de vírus que comum entre os animais. Em casos raros, ele é o que os cientistas chamam de zoonótico, o que significa que pode ser transmitido de animais para seres humanos, de acordo com os Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças.

    Sintomas de Coronavírus

    O vírus pode deixar as pessoas doentes, geralmente com uma doença do trato respiratório superior de leve a moderada, semelhante a um resfriado comum. Os sintomas do Coronavírus incluem coriza, tosse, dor de garganta, possivelmente dor de cabeça e talvez febre, que pode durar alguns dias.

    Para aqueles com um sistema imunológico enfraquecido, idosos e muito jovens, há uma chance do vírus causar uma doença do trato respiratório mais baixa e muito mais grave, como uma pneumonia ou bronquite.

    Há alguns tipos de Coronavírus humanos que são conhecidos por serem mortais.

    Saúde; como saber se as pintas na pele são perigosas

    Resultado de imagem para pintas na pele
    Na maioria dos casos, as pintas são apenas charmosas. O problema é que, às vezes, elas revelam um câncer – ou mesmo o melanoma, um tipo menos comum, porém mais mortal de tumor de pele.

    Calma: não precisa sair correndo para arrancar as suas, até mesmo porque isso não é recomendado pelos médicos. Mas convém prestar atenção às alterações dermatológicas que mais acusam essa doença.

    As pintas saudáveis nascem conosco e continuam surgindo principalmente até a juventude. Seu visual é bem variado: vai do marrom ao bege, pode ter relevo e pelos… Porém, mais importante do que a estética são as mudanças ao longo do tempo. Uma pinta normal não sofre modificações.

    “As potencialmente malignas são as que surgem do nada e crescem em pouco tempo, possuem mais de uma cor, tonalidades muito negras e mudam de forma e contorno”, explica a médica Alessandra Romiti, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

    E, apesar de não ser sentença de um tumor, o excesso de pintas pelo corpo, mesmo que normais, já é sinal de alerta. “Os estudos mostram que ter mais do que 50 é um fator de risco para o melanoma”, aponta Alessandra.

    Antes de tudo, geralmente são as pessoas mais brancas que acumulam pintas. E uma pele muito clara predispõe ao câncer. Além disso, é mais difícil flagrar marcas suspeitas quando há tantos locais para observar.

    Como identificar as pintas malignas

    A SBD recomenda ficar de olho nas pintas e utilizar o método ABCDE para avaliar casos suspeitos de câncer:

    ● A) Assimetria, já que pintas saudáveis costumam ser simétricas.
    ● B) Borda, para bordas irregulares, com curvas e pontas.
    ● C) Cor, especialmente preta e com manchas de outras tonalidades.
    ● D) Diâmetro, acima de 5 milímetros.
    ● E) Evolução, se o crescimento for repentino e rápido.

    Esses quesitos não necessariamente aparecerão juntos. Por isso, para evitar mesmo a doença é preciso que um profissional avalie as pintas com certa frequência – uma vez por ano, por exemplo. “Só ele poderá identificar corretamente as que oferecem risco à saúde”, destaca Alessandra.

    Sol e pele

    Os nevos, nome técnico da pinta, têm principalmente origem genética. Mas a exposição excessiva ao sol é considerada o principal financiador de alterações celulares em toda a pele, que podem levar ao câncer no futuro. Tanto que pessoas de pele clara, que se queimam com mais facilidade, entram no grupo mais atingido pelos tumores da derme.

    Por isso, sempre vale ficar atento a outros sinais que não são pintas de verdade: manchas mais claras, chamadas de melanoses, e as sardas. “Eles significam que a derme pode estar recebendo mais sol do que deveria”, aponta Alessandra.

    Já as marcas vermelhas são mais inofensivas. Ele aparecem em virtude de vasinhos sanguíneos, e não estão relacionadas a tumores.

    Fonte: Saúde Abril

    E depois da cirurgia......

    Resultado de imagem para mulher feiaUm artigo no jornal informava que uma mulher entrou com um processo contra um hospital, alegando que, após seu marido ter sido operado, perdeu totalmente o interesse pelo sexo.

    A direção do hospital respondeu:

    Estimada senhora: 

    A cirurgia que realizamos em seu marido foi para remoção de cataratas. Agora temos certeza absoluta que o procedimento foi um sucesso.

    Saudações.

    A Direção

    Coronavírus: como a China está construindo dois hospitais em apenas 10 dias?

    A China começou a construção, na semana passada, de dois novos hospitais — um com mil e e outro com 1.000 e 1.300 leitos — para tratamento de pacientes infectados com o coronavírus. Para suprir a demanda, o país está investindo em uma estrutura que deve colocar os prédios de pé em um prazo assustador de apenas 10 dias. Mas como isso é possível?

    A rede estatal está transmitindo o trabalho de construção dos novos espaços pelo YouTube. Serão dois prédios, um chamado Wuhan Houshenshan Hospital, com uma área de 25 mil metros quadrados e com capacidade de mil leitos. É este que o governo espera que esteja pronto em 3 de fevereiro.

    O segundo se chama Leishenshan Hospital, com 30 mil metros quadrados e mais 1.300 leitos. A expectativa é de que seja finalizado em 5 de fevereiro. Ambos os prédios ficam na região de Wuhan, separados por 40 quilômetros um do outro.

    A dúvida que paira sobre o projeto é: como alguém consegue fazer dois empreendimentos tão grandes em apenas uma dezena de dias?

    Além de muito investimento, o segredo está na tecnologia de arquitetura de pré-fabricação. Isso significa que, após aprovado o projeto, feito em computadores, todo o prédio é pré-construído (provavelmente em concreto pré-moldado) fora do espaço de construção, depois trazido para, de forma simples, ser apenas montado no local onde ficará — como se fossem blocos gigantes em uma plataforma de Lego, resguardadas as devidas proporções da vida real e dos cuidados.

    Gostou? Continue a leitura AQUI