• Últimas Notícias

    sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

    UTI Pediátrica do Hospital Walfredo Gurgel será fechada por falta de médicos

    A UTI Pediátrica do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel vai fechar por falta de médicos para cobrir escala. De acordo com relatos de servidores do Hospital, a direção estuda como realocar os pacientes para outras unidades.

    Os médicos da UTI informaram à direção do Hospital, à Sesap e ao Ministério Público desde setembro deste ano sobre a situação de trabalho sob a qual estão submetidos. Além da estrutura física do setor, os profissionais sofrem com salários atrasados. Por isso, muitos pedem exoneração.

    “A crise de saúde pública do RN vem se aprofundando. A equipe da UTI do Walfredo Gurgel nunca foi completa. Sempre existiu desfalque, pois não tem médico suficiente. É um problema recorrente que culminou para o fechamento", declarou uma enfermermeira da UTI.

    Os familiares que estão com crianças internadas estão preocupados com esse fechamento. Pois essa é a única UTI Pediátrica do estado. Além disso, o Walfredo Gurgel é um hospital referência em traumatologia. 

    Em 2016, sob o governo de Robinson Faria, a UTI do Hospital Maria Alice Fernandes foi fechada também por falta de pediatras. O governo de Fátima Bezerra é irresponsável e dá continuidade à política de sucateamento do SUS dos governos anteriores, pois o Estado foi alertado dos problemas da unidade e não foram tomadas providências

    O Sindsaúde RN repudia o fechamento da UTI pediátrica do Hospital Walfredo Gurgel e cobra respostas do Governo e da Secretaria de Saúde. É inadmissível que mais uma UTI pediatrica seja fechada. É esse presente de Natal que as crianças irão receber do governo?

    SINDSAÚDE

    Seguro DPVAT terá redução 68% para carros e cobrança será de R$ 5,23; confira tabela completa

    Resultado de imagem para Seguro DPVATOs valores do DPVAT 2020 foram divulgados nesta sexta-feira pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), vinculado ao Ministério da Fazenda. A cobrança do seguro obrigatório segue no próximo ano após o Supremo Tribunal Federal (STF) suspender a medida provisória (MP) do presidente Jair Bolsonaro que previa sua extinção. Após o vai e vem sobre a cobrança, a tabela saiu com drásticas reduções nos valores das taxas. No caso de automóveis, a queda será de 68%, com valor de R$ 5,23.

    Confira os valores:

    Automóvel, táxi e carro de aluguel: R$ 5,23 - redução foi de 68%; era R$ 16,21 em 2019;
    Ciclomotores: R$ 5,67 - era R$ 19,65 em 2019;
    Caminhões: R$ 5,78 - era de R$ 16,77 em 2019;
    Ônibus e micro-ônibus (sem frete): R$ 8,11 - era de R$ 25,08 em 2019;
    Ônibus e micro-ônibus (com frete): R$ 10,57 - era de R$ 37,90 em 2019
    Moto: R$ 12,30 - redução foi de 86%; era de R$ 84,58 em 2019.

    O pagamento continua na data de vencimento da cota única de IPVA ou na da primeira parcela de cada estado, informou a Seguradora Líder, que é a administradora do DPVAT. Os boletos devem ser gerados no site da seguradora.

    Publicada medida que institui no âmbito do estado do RN o Programa Moto Legal

    Resultado de imagem para Programa Moto LegalAssinada pela governadora Fátima Bezerra e pelo secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier, tem divulgação nesta sexta-feira (27) por intermédio do Diário Oficial do Estado cópia da Lei nº 10.639, de 26 de dezembro corrente.

    A Lei institui, no âmbito do Poder Executivo, o Programa Moto Legal, com a finalidade de propiciar a regularização da transferência de propriedade e do licenciamento ou a aquisição de motocicletas, motonetas ou ciclomotores de até 155 cilindradas, registrados perante o Departamento Estadual de Trânsito do RN (DETRAN/RN).

    O Poder Executivo celebrará compromisso com os possuidores, sejam eles proprietários ou condutores, de motocicletas, motonetas ou ciclomotores de até 155 cilindradas, registrados perante o DETRAN/RN, com o objetivo de eliminar irregularidades na transferência de propriedade e no licenciamento.

    Conheça AQUI toda a íntegra da Lei.

    Campestre; Com ausência da oposição, Câmara aprova projeto de lei de crédito suplementar ao orçamento municipal para 2020

    Sessão extraordinária contou apenas com os vereadores da situação

    O presidente da câmara municipal de São José do Campestre/RN, vereador Edu de Chico Lico, convocou os vereadores daquele município para realizar sessão extraordinária na manhã dessa sexta-feira (27), solicitada pelo poder executivo municipal para discutir e votar o projeto de lei de crédito suplementar ao orçamento municipal para ano de 2020, que trata de critérios de registro e aplicação dos recursos da "Cessão Onerosa do Bônus de Assinatura do Pré-Sal", no orçamento municipal 2020. Sem aprovação dessa lei pela câmara municipal, o município ficaria impedido de receber esses recursos da Cessão Onerosa.

    O projeto de lei foi aprovado, pelos vereadores presentes: Edu de Chico Lico, Bolinha, Preto, Zé Ney e Sérgio da Paraíba. Nenhum dos quatro vereadores do bloco de oposição compareceu a essa sessão extraordinária.

    A ausência dos vereadores de oposição aparentemente sem justificativas, chegando ao conhecimento do ministério público estadual, poderá acarretar em afastamento ou até perca do cargo de vereador por ferir o regimento da câmara municipal, o código de ética e decoro parlamentar e principalmente a lei orgânica do município de São José do Campestre/RN.

    Relembre seis eletrônicos que “morreram” na última década

    Aparelhos eletrônicos de sucesso no início dos anos 2000 tiveram seu uso modificado ou diminuído com as novidades em soluções tecnológicas. A última década marcou o avanço tecnológico, com a chegada de novos supercomputadores e mudanças na forma como o usuário fotografa ou escuta música.

    A modernização e ampliação do uso dos smartphones, por exemplo, foi determinante para essa mudança de comportamento. Alguns eletrônicos de sucesso também perderam muito espaço na era dos smartphones e dispositivos conectados. A seguir, confira seis equipamentos que “morreram” ou foram praticamente descontinuados nos últimos anos.

    1. Telefone fixo

    O telefone fixo, que já foi sinônimo de status, hoje se tornou um aparelho de pouco uso no País. Segundo dados da Teleco, coletados na última edição do Censo Demográfico do IBGE, os aparelhos convencionais somam 38,3 milhões de assinaturas. Já o uso de celulares tem um total de 229,2 milhões.

    Os telefones fixos ainda resistem, pois, em diversas operadoras de banda larga, a telefonia fixa é oferecida praticamente como um brinde, o que faz que os telefones fixos ainda sejam contratados mesmo tendo um uso bem menor em relação a ligações através da internet.

    2. Secretária eletrônica

    As secretárias eletrônicas eram mais comuns em escritórios e estabelecimentos comerciais, já que funcionavam como uma espécie de caixa postal pessoal, gravando os recados de ligações que você não pôde ou quis atender.

    Assim como os equipamentos de telefonia fixa, as secretárias foram sumindo ao mesmo passo em que o telefone fixo perdeu a popularidade. Atualmente, são poucos os estabelecimentos que ainda usam o equipamento e, com a praticidade do celular, a secretária eletrônica acabou perdendo sua funcionalidade.

    3. Pagers

    Os pagers, que no Brasil também ficaram popularmente conhecidos como “bips”, por conta do nostálgico som de notificações, também caíram no esquecimento nesta última década, muito por conta da complexidade de seu uso. Para enviar uma mensagem, o usuário precisava entrar em contato com um operador, que entrava em contato com o destinatário. A popularização das mensagens via SMS fizeram com que o aparelho fosse “abandonado” no início da década.

    4. Câmera digital

    As câmeras digitais marcaram uma geração durante os anos 2000. Com diversas opções de cores e marcas, os aparelhos fizeram parte de uma época onde tirar selfies no espelho, por exemplo, dava ao usuário destaque na internet. Em 2019, as câmeras digitais perderam espaço para os smartphones. Equipados com câmeras cada vez mais poderosas, os celulares entraram de vez no dia a dia do brasileiro e substituíram o uso das câmeras.

    Apesar disso, as câmeras digitais ainda resistem no campo profissional de fotografia, que conta com com equipamentos com preço bem elevado e qualidade de imagem premium. Outro setor que também mantém o uso dos equipamentos ativo é o de criadores de conteúdo. Muitos Youtubers gravam seus vídeos com câmeras profissionais.

    5. GPS

    Os equipamentos de GPS se tornaram populares no início dos anos 2000 e eram usados por motoristas que precisavam encontrar rotas mais curtas e mais rápidas para chegar ao seu destino. O aparelho era vendido em um formato similar ao de um celular e contava com uma tela de 5 polegadas, onde as direções e condições do trânsito eram exibidas. Modelos de GPS portáteis também tinham seu público, como aventureiros e profissionais que atuavam em áreas mais remotas.

    Com o passar os anos, os smartphones conseguiram incluir aplicativos que deram fim à era do uso do GPS. Além disso, alguns modelos de carros já saem de fábrica com aparelhos embutidos ao painel de direção. Já para mobilidade, aplicativos como Google Maps e Waze auxiliam motoristas na hora de escolher o melhor caminho para chegar ao seu destino.

    6. DVD/Blu-Ray Player

    Os aparelhos de reprodução de DVD e Blu-Ray estavam presentes em muitas casas do Brasil no início dos anos 2000. Com o leitor de mídia, o usuário conseguia transformar sua casa em um cinema para exibir seus filmes prediletos.

    Os aparelhos de DVD Player ou mesmo de Blu-Ray Player se tornaram praticamente obsoletos com a chegada de serviços como Netflix, Amazon Prime Vídeo e outros. E mesmo na indústria dos games, que também sempre fez uso de mídia física, vemos iniciativas como da Microsoft que lançou uma versão de seu console Xbox One, sem o leitor de mídia, funcionando exclusivamente com conteúdo digital por download.

    Info/tecnologias

    Petrobras reajusta preço do gás de cozinha em 5%

    A partir desta sexta-feira (27) A Petrobras vai aumentar, em média, 5% os preços de venda do GLP (gás liquefeito de petróleo) em suas refinarias e bases. O reajuste vale para todos os tipos de GLP, desde o residencial, conhecido como o gás de cozinha nos botijões de 13 quilos, até o industrial e comercial, vendido em vasilhames de 20 kg, 45 kg e acima de 90 kg, incluindo a granel.

    Os preços do GLP, como dos demais derivados são livres, mas, considerando que a matéria-prima representa cerca de 54% do preço final do produto, o impacto final aos consumidores pode variar entre 2% a 3%. De janeiro até agora, o botijão de 13 kg teve um reajuste médio de 10%. O último reajuste do GLP nas refinarias da Petrobras ocorreu no dia 25 de novembro.