• Últimas Notícias

    quinta-feira, 7 de novembro de 2019

    Câmara aprova MP que aumenta valor do saque do FGTS

    Resultado de imagem para saque do FGTSO plenário da Câmara aprovou na noite desta quarta-feira (6) a Medida Provisória 899/19, que mudou as regras de saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O texto foi aprovado na forma de um projeto de lei de conversão e segue agora para o Senado.

    A MP cria a modalidade de saque-aniversário, pela qual o trabalhador pode utilizar parte do dinheiro depositado no fundo todos os anos, independente de ter sido demitido ou de utilizar os recursos no financiamento de imóveis.

    O texto aprovado teve autoria do deputado Hugo Motta (Republicanos-PB), modificou a legislação do fundo e aumentou o valor do saque único autorizado pela MP de R$ 500 para R$ 998.

    Delegação do RN participa na Alemanha de evento de cooperação no setor de Energias Renováveis

    O Rio Grande do Norte é reconhecido como importante matriz de energias renováveis, principalmente a eólica, e tem despontado também na geração de energia solar, graças a abundante matéria prima – o sol – que brilha quase todos os dias do ano em terras potiguares. É com o objetivo de buscar as ferramentas tecnológicas e aperfeiçoar os conhecimentos necessários para aproveitar ao máximo esse potencial, que uma delegação do RN parte neste mês para a Alemanha em uma missão de intercâmbio no setor de energias renováveis.

    A missão vai acontecer no período de 11 a 16 de novembro na Cidade de Trier, Alemanha. O Presidente do Sinduscon Mossoró, Engenheiro Sérgio Freire, que também preside a Comissão Temática de Energias Renováveis – COERE, estará à frente da delegação que vai participar do evento técnico de cooperação.

    A delegação de dez pessoas vai visitar e trocar experiências com instituições e empresas ligadas a cadeia produtiva de energias renováveis da Alemanha, com ênfase na formação profissional, sistema de exames, eficácia energética, transferência de tecnologia e certificação na área de energias sustentáveis.

    Inflação de outubro (0,10%) é a menor para o mês desde 1998

    O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de outubro ficou em 0,10%. O índice, que é usado como referência para a inflação oficial, foi divulgado hoje (7), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Este é o menor resultado para um mês de outubro desde 1998, quando o IPCA ficou em 0,02%.

    No acumulado do ano, o IPCA está agora em 2,60%. E, nos últimos 12 meses, a variação é de 2,54%, abaixo do índice de 2,89%, encontrado nos 12 meses anteriores.

    Três grupos pesquisados apresentaram deflação: habitação (-0,61%), artigos de residência (-0,09%) e comunicação (-0,01%).

    A queda no grupo de habitação foi puxada pelo item energia elétrica, com 3,22% negativos.

    As altas ficaram por conta de vestuário (0,63%), transportes (0,45%) e saúde e cuidados pessoais (0,40%). A maior alta em vestuário foi atribuída a roupas femininas: 0,98%.

    O IPCA é medido pelo IBGE desde 1980 em famílias com renda até 40 salários mínimos em 10 regiões metropolitanas e seis municípios do país.

    Agência Brasil

    Mais de 1,3 milhão de potiguares vivem abaixo da linha da pobreza

    O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou na última quarta-feira, 6, a Síntese de Indicadores Sociais 2019. De acordo com o estudo, 1.322.000 pessoas vivem abaixo da linha da pobreza no Rio Grande do Norte. Isso significa que, do total de 3.478.000 habitantes, 38% vivem com rendimento domiciliar per capita inferior a US$ 5,5 dólares, aproximadamente R$ 420 mensais.

    A população em condição de extrema pobreza, por sua vez, diz respeito ao grupo com rendimento per capita inferior a US$ 1,9, cerca de R$ 145 mensais. Esse grupo equivale 10,3% da população potiguar, 359.000 pessoas.

    O levantamento analisa a qualidade de vida e os níveis de bem-estar das pessoas, famílias e grupos populacionais, a efetivação de direitos humanos e sociais, bem como o acesso a diferentes serviços, bens e oportunidades, por meio de indicadores que visam contemplar a heterogeneidade da sociedade brasileira sob a perspectiva das desigualdades sociais.

    Potiguares têm a terceira maior restrição a serviços de saneamento do Nordeste.