• Últimas Notícias

    sábado, 21 de setembro de 2019

    Cardiologista dá 10 dicas para evitar um infarto; Sedentarismo e maus hábitos alimentares são os grandes vilões

    A maioria das mortes por infarto ocorre nas primeiras horas de manifestação da doença, conforme dados do Ministério da Saúde. Na primeira hora depois do surgimento dos acontecem 65% dos óbitos, enquanto 80% ocorrem até 24 horas após o início do quadro. Por isso, a importância de estar atento aos sinais.

    Segundo o cardiologista Miguel Moretti, do Hospital São Luiz, quem possui histórico familiar de cardiopatias tem que estar sempre em dia com exames como ecocardiograma, teste de esforço, raio-X de tórax, eletrocardiograma e exames de sangue.

    Confira 10 dicas do médico para evitar um infarto:

    1. Siga uma dieta equilibrada

    Alimentar-se bem não significa comer muito. É importante que a alimentação contemple frutas, verduras, legumes e carboidratos, pois isso reflete no colesterol. Uma dieta balanceada auxilia o organismo a equilibrar proteínas e nutrientes.

    2. Vá ao médico regularmente

    Não só quem tem histórico de doenças cardiovasculares na família precisa buscar orientação médica. Com exames de rotina é possível analisar os níveis de açúcar e colesterol no organismo.

    3. Fique de olho na sua faixa etária

    Apesar de o infarto aparecer em muitas pessoas mais jovens, entre 18 e 40 anos, os idosos ainda são o grupo de maior risco da doença. Geralmente, eles já desenvolveram hipertensão ou diabetes ao longo dos anos, o que dificulta os tratamentos, pois podem essas doenças podem acarretar lesões nos rins e no coração.

    4. Evite o tabagismo

    As substâncias do cigarro destroem o endotélio, camada de proteção das veias, e oxidam as artérias, deixando-as suscetíveis ao contato da gordura do organismo, o que ocasiona a formação de depósito de gordura em locais inadequados.

    5. Atenção com diabéticos e hipertensos

    O ideal é seguir as dietas e os tratamentos indicados. Controlar o peso e o consumo de alimentos gordurosos é o melhor a fazer nesse caso.

    6. Pratique exercícios

    O que tem se notado é que a parcela mais jovem que apresenta níveis altos de colesterol também é sedentária. A prática de atividade física contribui para evitar infartos e diversas outras doenças, tais como hipertensão, diabetes e o sobrepeso.

    7. Consuma gordura saudável

    As gorduras fazem parte da nossa alimentação, porém é preciso atenção para consumir somente as gorduras saudáveis, que podem ser encontradas no azeite, no chocolate meio amargo, na castanha-do-pará e também no abacate. São as chamadas gorduras polinsaturadas, de origem vegetal.

    8. Evite o consumo exagerado de bebidas alcoólicas

    Elas não têm uma ligação direta com os infartos, mas, em excesso, prejudicam muito a saúde. Os estudos epidemiológicos afirmam que substâncias como o vinho, em pequenas doses, podem ajudar o sistema cardiológico do corpo, uma das explicações está no fato de a bebida funcionar como antioxidante no organismo, produzindo efeitos positivos como a redução do risco de derrames cerebrais.

    9. Alerte seu médico sobre os casos de infarto na família

    É importante fazer um acompanhamento mais aprofundado, pois a chance de desenvolver a doença é muito maior.

    10. Abuse da diversão e do entretenimento

    É importante saber administrar o estresse emocional. Pessoas muito aceleradas e que trabalham demais estão suscetíveis aos infartos. Divirta-se, pois atividades prazerosas liberam a endorfina e equilibram o organismo.

    Projeto exige vinculação de CPF a contas e redes sociais na internet

    Resultado de imagem para redes sociaisO Projeto de Lei 3389/19 determina que o provedor de internet exija e mantenha o número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou de Pessoa Jurídica (CNPJ) do usuário de serviço de divulgação de conteúdo público. O texto insere dispositivo no marco civil da internet (Lei 12.965/14).

    A proposta está em tramitação na Câmara dos Deputados. “O projeto pretende mitigar o crescente número de crimes e práticas ilícitas na web, em especial nas redes sociais”, diz o autor, deputado Fábio Faria (PSD-RN). “A vinculação de CPF ou CNPJ válido às contas de aplicativos da internet não elimina todos os problemas, mas facilita a responsabilização.”

    Tramitação
    A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

    Sesap confirma 231 casos de dengue, 36 de chikungunya e nenhum de zika em 2019

    A Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige) divulgou nesta sexta-feira, 20, o novo boletim das arboviroses no estado. O levantamento é referente ao período da semana epidemiológica 01 a 36, encerrada no último dia 7 de setembro deste ano.

    De acordo com a pasta, Mossoró notificou 1831 casos suspeitos de dengue. Foram confirmados 231 casos. A incidência foi de 622,35 casos por 100 mil habitantes. No RN, foram notificados 31.664 casos suspeitos de dengue, sendo confirmados 7.348 casos, o que representa uma incidência de 910,14 casos por 100.000 habitantes.

    Quanto à Chikungunya, a Sesap notificou 422 casos suspeitos na segunda maior cidade do estado. Destes, 36 foram confirmados. O número gerou uma incidência de 143,50. Em todo o estado foram notificados no estado 11.492 casos suspeitos, sendo confirmados 4.637, representando uma incidência de 336,99 casos por 100.000 habitantes.

    Com relação a zika vírus, foram notificados apenas 7 casos suspeitos e nenhum confirmado em Mossoró. No Rio Grande do Norte, o número de casos suspeitos ficou em 1.088 casos prováveis, o que corresponde a uma incidência de 31,27 casos por 100.000 habitantes. O RN também não teve caso confirmado de zika no ano.

    Sesap