• Últimas Notícias

    domingo, 18 de agosto de 2019

    Cadastro desatualizado pode suspender seu Bolsa Família: Saiba como atualizar

    Todas as modalidades do Bolsa Família em 2019. Criado em 2014, o Bolsa Família é o maior programa de distribuição de renda do Brasil. Através da Lei 10836Cadastro desatualizado pode suspender seu Bolsa Família: Saiba como atualizar. Após analisar cadastros, constatou-se que que 1,136 milhão de benefícios se encontram em situação irregular em 2018. Desses, 469 mil foram cancelados e outros 667 mil benefícios bloqueados.

    A fiscalização do MDSA está mais rigorosa, principalmente porque agora é possível cruzar informações de diferentes bancos de dados, como CadÚnico, INSS, Rais, Caged e CNPJ.

    Os principais motivos para cancelamento do Bolsa Família são:
    1 – RENDA ACIMA DA DECLARADA

    Dólar a R$ 4 surpreende consumidor e desenha cenário menos otimista

    Brasileiros que voltaram das férias de julho neste ano com o cartão de crédito recheado de despesas em dólar podem ter sido surpreendidos pelo óbvio. Ainda que reformas sejam importantes para reequilibrar a economia –e o preço da moeda americana–, enquanto o mundo lá fora estiver em crise, o dólar não será tão baixo quanto o alardeado pelo segmento otimista do mercado financeiro.

    Na semana passada, a moeda americana voltou a ser negociada acima de R$ 4, espécie de patamar simbólico para quando começa a ficar cara para o consumidor. E quem gastou em julho, após o primeiro aval à reforma da Previdência na Câmara, pode ter chegado em agosto com uma despesa 8% maior.

    Logo após a votação, a moeda chegou a ir aos R$ 3,70 esperados pelo mercado financeiro para o fim deste ano.

    No entanto, o dólar retomou a trajetória de alta e superou os R$ 4 após os argentinos surpreenderem o mercado financeiro com uma primeira chancela à volta de kirschneristas, de esquerda, ao poder. A eleição é em outubro.

    O contágio externo que faz o dólar subir não vem só da Argentina: com Estados Unidos e China travando uma guerra comercial cada vez mais ferrenha, investidores preferem deixar seus investimentos em países arriscados, como é o Brasil, rumo à segurança da dívida pública americana. Na saída, levam dólares e, ao enxugar a oferta da moeda no mercado doméstico, fazem o preço subir.

    FOLHAPRESS

    Apenas 28,4% dos trabalhadores domésticos têm carteira assinada, diz IBGE

    Cerca de 6,24 milhões de profissionais que atuam na área de trabalhador doméstico, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mas apenas aproximadamente 1,77 milhão tem carteira assinada, enquanto em torno de 4,47 milhões trabalham na informalidade.

    Isso significa que 71,6% dos trabalhadores não têm carteira assinada e que apenas 28,4% desfrutam dos direitos assegurados com a Lei das Domésticas, aprovada em 2013 e em vigor desde 2015.

    “É o menor percentual em toda a nossa série, que começou a ser medida em 2012. A maior cobertura, de 33,2%, ocorreu no segundo trimestre de 2016, pouco depois de a lei entrar em vigor. De lá para cá, a cobertura de carteira assinada vem caindo”, diz Adriana Beringuy, pesquisadora do IBGE.

    IBGE

    Jubileu de ouro: Caern comemora 50 anos com serviços em 152 municípios do RN

    Em 50 anos de história, a Companhia de Águas e Esgotos (CAERN) é reconhecida pela população potiguar pela prestação de um serviço essencial.

    A Companhia é vista como um patrimônio do povo norte-rio-grandense, sendo responsável pelo abastecimento de água de 152 municípios.

    Atualmente, o serviço de abastecimento de água nos municípios atendidos pela Caern está praticamente universalizado. Já no que se refere ao esgotamento sanitário, a Companhia tem trabalhado no desafio de ampliar a cobertura, uma meta ousada, que exige esforço e investimentos. Mas, com alto retorno social e ambiental.

    Neste ano de seu jubileu de ouro, a Caern destaca que é uma empresa formada por homens e mulheres de garra, batalhadores e, principalmente, preparados. 

    Os quase 2.500 colaboradores da Companhia estão engajados na missão de “contribuir para a melhoria de qualidade de vida da população do RN, satisfazendo suas necessidades de água e esgotamento sanitário, respeitando os fatores sociais, econômicos e ambientais”.

    Brasil tem 45 milhões de desbancarizados, diz pesquisa do Instituto Locomotiva

    Resultado de imagem para conta bancáriaPesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva revela a existência no Brasil de 45 milhões de desbancarizados, ou seja, brasileiros que não movimentam a conta bancária há mais de seis meses ou que optaram por não ter conta em banco. Isso significa que de cada três brasileiros, um não possui conta bancária. De acordo com a sondagem, esse grupo movimenta anualmente no país mais de R$ 800 bilhões.

    Na avaliação do presidente do Instituto Locomotiva, Renato Meirelles, a conclusão evidente do levantamento é que o Brasil sairia mais rápido da crise econômica se a bancarização crescesse. “É muito ruim para a economia brasileira. Ficou definido na pesquisa que os bancos que operam no país ainda não falam com uma parcela significativa da população e que muitas dessas pessoas que não têm conta em banco são empreendedores, entre os quais ambulantes e trabalhadores autônomos, que precisariam estar mais inseridos na economia formal.

    Meirelles explicou que como essas pessoas não têm acesso ao crédito, precisam esperar até três anos para juntar dinheiro suficiente para comprar uma geladeira, um aparelho celular ou trocar de televisão, por exemplo. Se tivessem acesso ao crédito, poderiam parcelar essas compras de modo a ter hoje esse bem. Segundo ele, isso faz a economia girar. Com essa parcela gigantesca de desbancarizados, Meirelles estimou que a economia brasileira vai demorar ainda um tempo para reaquecer.

    Agência Brasil