• Últimas Notícias

    sábado, 22 de junho de 2019

    Historiador Lenine Pinto, defensor da tese de que o Brasil foi ‘descoberto’ pelo RN, está na UTI com pneumonia

    Resultado de imagem para Historiador Lenine Pinto
    Foto: Tribuna do Norte
    Principal defensor da tese de que o Brasil foi ‘descoberto’ pelo Rio Grande do Norte e autor de diversos livros sobre o passado de Natal, o historiador Lenine Pinto está internado em estado grave na UTI da Casa de Saúde São Lucas em Natal. 

    Segundo informações da Academia Norte-riograndense de Letras, da qual é membro desde 2003, Lenine foi hospitalizado no dia 22 de maio – 10 dias após completar 89 anos. Seu quadro é de pneumonia.

    “Ele já vinha há um tempo fazendo hemodiálise duas vezes por semana. Mas em maio acabou sendo internado. A família disse que ele está fraquinho, de cadeira de rodas, com dificuldade de comer”, contou a colega da ANRL, Leide Câmara.

    Jogador do Vasco Thalles morre em acidente no Rio de Janeiro

    Paulo Fernandes/Vasco
    O atacante Thalles Lima de Conceição Penha, apelidado por torcedores como “BaloThalles”, morreu no início da manhã deste sábado (22/06/2019) após acidente. Aos 24 anos, o jogador estava emprestado à Ponte Preta, clube paulista que disputa a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro. Em nota, o clube carioca lamentou a perda do jogador. Outra pessoa teria morrido e mais três ficaram feridas.

    A tragédia ocorreu na Avenida Almirante Pena Boto, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros do Rio, Thalles se envolveu em uma colisão entre duas motos. Após o choque, outras pessoas que passavam pelo local foram atingidas. Assim como as demais vítimas, o jogador foi levado ao Hospital Estadual Alberto Torres, mas não resistiu aos ferimentos.

    Segundo testemunhas, Thalles estaria voltando de um baile funk. (Metropoles.com)

    Pesquisadores descobrem “chifres” em crânios de jovens – e a culpa pode ser dos celulares

    RADIOGAFIA MOSTRA O APARECIMENTO DE UMA ESTRUTURA ÓSSEA NA BASE DO CRÂNIO (FOTO: NATURE)
    A tecnologia tem mudado a forma como nos comportamos, mas os dispositivos que usamos podem estar também alterando a estrutura de nossos corpos e esqueletos. Uma pesquisa encontrada pelo Washington Post sugere que os jovens estão desenvolvendo pequenos ossos na base do crânio que se parecem com chifres. Essas estruturas se formam por causa do deslocamento do peso da cabeça quando olhamos para baixo, exatamente a posição em que ficamos ao olhar para as telas dos smartphones. Essa força causa o crescimento do osso na conexão entre tendões e ligamentos na região. A publicação compara esse crescimento com a formação de um calo na pele em resposta a algum tipo de pressão.

    No estudo publicado no sistema de revisão de pares da revista Nature, os pesquisadores David Shahar e Mark Sayers, da Universidade de Sunshine Coast, na Austrália, argumentam que a predominância dessa estrutura em jovens adultos aponta que a mudança na postura pode estar sendo causada pela tecnologia moderna. Eles afirmam que os smartphones e outros dispositivos exigem que os humanos inclinem a cabeça para frente.

    Segundo o estudo, 41% dos jovens entre 18 e 30 anos que foram avaliados apresentavam tal estrutura. A estimativa é de que isso atinja 33% da população total. O perigo não é o chifre em si, afirmou Mark Sayers. Porém, a formação é um “sinal de que alguma coisa não está certa, de que a cabeça e o pescoço não estão na configuração em que deveriam estar”.

    Há quem diga, contudo, que não existe razão para pânico. A Vice, por exemplo, argumenta que a ligação entre o crescimento ósseo na base do crânio e o uso de smartphones não passa de um palpite dos pesquisadores feito com base na informação de que a estrutura é mais comum em jovens. Os pesquisadores sequer cruzaram dados sobre o uso de dispositivos móveis pelas pessoas avaliadas e o crescimento do osso na base do crânio e o uso de dispositivos móveis.

    “Não dá para dizer que esses chifres não existem. As radiografias estão aí, mas o que é importante notar é que não sabemos se eles são causados por smartphones, se eles estão presentes na maioria da população e quais são os sintomas”, diz o texto da Vice.

    Época Negócios

    Economia: Dólar fecha em R$ 3,82 e registra a menor cotação em três meses

    O dólar caiu nesta sexta-feira à mínima em três meses contra o real, para a faixa de 3,82 reais, em dia de fraqueza global para a moeda norte-americana, com o mercado ainda sob efeito da expectativa de melhora na liquidez mundial conforme os Estados Unidos caminham para cortar juros.

    O dólar à vista fechou em queda de 0,68%, a 3,8239 reais na venda. É o menor patamar para um encerramento desde 21 de março passado (3,8001 reais).


    Bolsa Família: Registro de frequência escolar de alunos deve ser feito até o dia 27

    As secretarias municipais de Educação de todo o país devem enviar a frequência escolar dos beneficiários do programa Bolsa Família ao Ministério da Educação até 27 de junho, quinta-feira da próxima semana.

    As informações são referentes aos meses de abril e maio deste ano. O benefício do programa está condicionado à presença mínima mensal de 85% nas aulas, para alunos de 6 a 15 anos, e de 75%, para jovens entre 16 e 17 anos.

    O esforço conjunto do Governo Federal, das administrações estaduais e das prefeituras envolve uma rede de aproximadamente 56 mil profissionais da educação, mobilizados ao longo de cinco períodos bimestrais, em mais de 140 mil escolas.

    A partir desse levantamento, também são identificados os motivos que levaram à baixa frequência escolar dos alunos. Essas informações são ferramenta fundamental para o governo criar ações de combate ao abandono e à evasão.

    Os dados são mantidos no Cadastro Único, que permite a identificação dos estudantes, o monitoramento de sua frequência escolar e o recebimento do benefício do programa Bolsa Família.

    Prazo do saque do PIS/Pasep termina dia 28; veja se tem direito a até R$ 998

    Termina no dia 28 de junho o prazo para sacar o abono salarial do PIS/Pasep para quem trabalhou em 2017. O valor varia de R$ 84 a R$ 998, de acordo com o tempo trabalhado naquele ano. Quem não fizer o saque perderá o direito ao benefício.

    Até a última sexta-feira (14), mais de 2,2 milhões de pessoas que têm direito ainda não haviam sacado o dinheiro, que totaliza R$ 6,5 bilhões, de acordo com o ministério da Economia.

    Quem tem direito a sacar o abono?

    quem trabalhou com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2017;

    ganhou, no máximo, dois salários mínimos, em média, por mês;

    está inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos;

    é preciso que a empresa onde trabalhava tenha informado os dados corretamente ao governo.