• Últimas Notícias

    quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

    Flexibilização da posse de arma deve atingir 124 municípios do RN, aponta levantamento

    Uma das principais e mais polêmica promessa de campanha do então candidato à presidência da República Jair Bolsonaro se tornou realidade. Nesta terça-feira (15), ele assinou o decreto que flexibiliza o acesso à arma de fogo. Cento e vinte e quatro cidades do Rio Grande do Norte devem estar entre os municípios brasileiros que podem ser afetados pela medida.

    Essa estimativa se dá levando em conta um dos principais critérios definidos pelo novo decreto: poderão adquirir armas de fogo os moradores de áreas rural e urbana com índices de mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes, conforme dados do Atlas da Violência 2018, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Com isso, pouco mais de 70% dos municípios potiguares devem se enquadrar nesse requisito. Na edição deste domingo (13), o jornal Tribuna do Norte reportou esse cenário.

    A matéria trouxe que 124 das 167 cidades do RN se enquadram nesse perfil, segundo dados referentes ao ano passado da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (COINE), da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SESED). A reportagem detalhou que o total de municípios potiguares que devem ser atingidos pela flexibilização da arma de fogo soma cerca de 90% da população do estado, “mas que não necessariamente são pessoas aptas a possuir uma arma de fogo”.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.