• Últimas Notícias

    sábado, 10 de novembro de 2018

    Seleção Pública: Control/RN publica edital de convocação para concurso com 53 vagas

    A Controladoria Geral do Estado do RN (Control/RN) publicou na edição deste sábado (10), no Diário Oficial do Estado, edital de convocação para concurso público com a oferta de 53 vagas.

    Os cargos são para Analista Contábil (30 vagas) e Técnico de Controle Interno (23 vagas). De acordo com o edital (acesse AQUI), as inscrições começam na próxima terça-feira (14) e vão até 16 de dezembro e o valor da taxa é de R$ 90.00.
    A remuneração é composta por R$ 3.095,63 mais R$ 1.200,00 (vencimento mais gratificação de Desempenho), totalizando R$ 4.295,63.
    A carga horária é de 40 horas semanais.

    A banca organizadora do concurso é o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), e os candidatos devem acessar o site da banca para realizar a inscrição.

    O concurso tem duas etapas: provas objetiva e discursiva, de caráter eliminatório e classificatório; e, avaliação de títulos.

    A aplicação das provas objetiva e discursiva serão realizadas em Natal.
    A primeira será no dia 20 de janeiro de 2019 e a segunda no dia 10 de fevereiro do ano que vem.

    Portal G1

    Boletos vencidos já podem ser pagos em qualquer banco

    A partir de hoje (10), boletos vencidos poderão ser pagos em qualquer banco ou correspondente e não apenas na instituição financeira em que foram emitidos. Isso será possível com a conclusão da implementação da Nova Plataforma de Cobrança (NPC), sistema desenvolvido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) em parceria com os bancos. Na última fase do processo, passa a ser obrigatório o cadastramento de títulos referentes a faturas de cartão de crédito e doações no novo sistema.

    Segundo a Febraban, além da praticidade, a implementação da NPC torna o processo de pagamento via boleto mais seguro, sem risco de fraudes. Outra mudança diz respeito ao comprovante de pagamento, que será mais completo, apresentando todos os detalhes do boleto, (juros, multa, desconto, etc) e as informações do beneficiário e pagador.

    Ensino médio poderá ter de 20% a 30% da carga horária a distância

    Estudantes do ensino médio poderão ter até 20% das aulas a distância, no caso do ensino médio regular, e até 30% no noturno. A decisão faz parte das novas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio, aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE).

    Na prática, em um ensino médio de cinco horas por dia, os estudantes da modalidade regular poderão ter uma hora, ou seja, uma aula, por dia a distância. Na modalidade ensino médio noturno, com quatro horas por dia, 1h12 poderá ser feita a distância.

    As diretrizes vigentes foram revistas pelo CNE para se adequar ao Novo Ensino Médio, aprovado no ano passado. Pela nova lei, os estudantes passarão por uma formação comum a todo o país, definida pela chamada Base Nacional Comum Curricular - ainda em discussão no CNE - e por uma formação específica, que poderá ser em linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas ou ensino técnico.

    São José do Campestre/RN: Justiça determina que ex-prefeito cumpra pena de mais de 4 anos de detenção em regime semiaberto

    O Tribunal de Justiça do RN (TJRN) julgou Apelação Criminal nº 2017.018154-6, que condenou o ex-prefeito Laércio Oliveira do município de São José do Campestre/RN, juntamente com a comissão permanente de licitação à época, por fraude no processo licitatório nº 43/2003. O ex-prefeito Laércio Oliveira, foi condenado a 04 (quatro) anos e 06(seis) meses e trinta (30) dias multa, em regime semiaberto, enquanto isso, os membros da comissão permanente de licitação, Luciano José de Oliveira, José Cristóvão de Oliveira e Nobaldo Lima, foram condenados a 02(dois) anos e 03(três) meses de detenção e 11(onze) dias multas, transformada a pena em trabalho de 08(oito) horas semanais, prestando serviços à comunidade, além de multas e pagamento das custas do processo.

    A decisão do TJRN, garantia aos condenados o direito de recorrer em liberdade a outras instâncias, sem embargos do Ministério Público, até o transito em julgado. No entanto, os réus não “recorreram da decisão” do tribunal de justiça do estado. Diante desse fato, os condenados na apelação criminal, vão cumprir as sentenças condenatórias.