• Últimas Notícias

    segunda-feira, 27 de agosto de 2018

    Câmara aprova, em primeira votação, projeto de lei que proíbe ideologia de gênero nas escolas de Santa Cruz

    Resultado de imagem para ideologia de generoA Câmara Municipal de Santa Cruz, aprovou nesta segunda-feira (27) um projeto de lei que proíbe a discussão em salas de aula sobre qualquer assunto relacionado ao tema “ideologias de gênero” nas escolas da cidade.

    A proposta foi do vereador Presidente da Casa Legislativa, Monik Melo (PTN) e acabou sendo aprovada em primeira votação por 6 parlamentares que estavam presentes na sessão, de um total de 9 vereadores. O relator do das comissões que colocou o projeto em pauta de votação foi o Vereador Thiago Fonseca (MDB)

    Em clima tenso, a sessão contou com a presença de diversos grupos que são contrários ao projeto, a da comunidade LGBT, estudantes ligados a universidade e o IFRN. Por outro lado, a sociedade civil organizada, comerciantes, representantes de igrejas e profissionais liberais aplaudiam o projeto que proíbe que a ideologia de gênero que poderia ser aplicado para crianças da rede municipal de ensino.

    Votaram em apoio ao projeto os vereadores; 
    Monik Melo, Ana Fabrícia Pontes, Raimundo Fernandes, Tarcísio Reinaldo, Thiago Fonseca e Mário Farias.

    Os vereadores que votaram contra o projeto foram;
    Paulo César Beju e João Victor.

    Apenas o vereador Gean Paraibano se absteve de votar, e por conta de não definir sua posição saiu muito vaiado da Câmara por representantes dos contras e a favor do projeto que alí estavam. 

    A Câmara Municipal volta a se reunir para a segunda votação final desse projeto na próxima segunda-feira, dia 03 de setembro. Após a aprovação final o projeto segue para prefeita Dra. Fernanda Costa que terá 30 dias para analisar e se concordar sancionar para depois de publicado virar lei.

    Alberto Valentim é o novo técnico do Vasco

    Resultado de imagem para Alberto ValentimApós vitória suada contra a Chapecoense por 3 a 1, neste domingo, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, pela 21.ª rodada do Campeonato Brasileiro, a direção do Vasco confirmou a contratação do técnico Alberto Valentim. 

    Ele chega a São Januário para o lugar de Jorginho, que não teve sucesso em sua segunda passagem pelo clube. Depois de comandar Palmeiras e Botafogo, teve uma rápida passagem pelo Pyramids, da primeira divisão do Egito.

    INSS começa a antecipar pagamento de 50% do 13º salário aos aposentados nesta 2ª feira

    O INSS começa a antecipar, a partir desta segunda-feira, a primeira parcela do 13º salário para cerca de 31 milhões de aposentados e pensionistas. O dinheiro será liberado com o pagamento da folha de agosto. Este ano, o pagamento vai até 10 de setembro. Os primeiros a receber serão os que ganha um salário mínimo (R$ 954). Veja o calendário abaixo.

    Sobre a primeira parcela, não incidem descontos. Estes serão feitos apenas quando houver o depósito da segunda parte do abono de fim de ano. Vale destacar que o Imposto de Renda será recolhido somente sobre a última parcela (se for o caso).

    Os segurados que recebem auxílio-doença também fazem jus à antecipação, mas precisam ficar atentos ao valor. O montante pago é proporcional ao número de meses de afastamento, já que o benefício é temporário.

    Não têm direito ao abono os titulares de benefícios assistenciais, como o BPC/Loas, que é pago a idosos carentes a partir de 65 anos e a pessoas com deficiência. Estes segurados correspondem 4,5 milhões de pessoas.<SW><EP,1>O adiantamento da primeira parcela do 13º é concedido aos segurados do INSS desde 2006. A segunda parcela é liberada junto com os benefícios referentes a novembro.

    EXTRA

    37% municípios do RN não geram receita sequer para pagar salário do prefeito.

    Um em cada três municípios brasileiros não consegue gerar receita suficiente sequer para pagar o salário de prefeitos, vereadores e secretários. O problema atinge 1.872 cidades que dependem das transferências de Estados e da União para bancar o custo crescente da máquina pública, segundo levantamento da Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan).

    Hoje, a situação mais grave está em cidades pequenas, que não têm capacidade de atrair empresas – o que significaria mais emprego, renda e arrecadação. Em geral, contam com um comércio local precário e, para evitar a impopularidade, as prefeituras cobram poucos impostos. Há cidades em que o IPTU só começou a ser cobrado depois que a crise apertou.

    No Rio Grande do Norte, segundo o estudo, há 63 municípios nessa situação – o que representa 37% de todas as prefeituras potiguares (são 167, ao todo). É o oitavo estado do País (e o terceiro do Nordeste) com maior número de prefeituras com baixas receitas.

    O levantamento da Firjan mostra que, em média, a receita própria das cidades com população inferior a 20 mil habitantes é de 9,7% – ou seja mais de 90% da receita vem de transferências públicas. Em alguns casos, a receita própria do município é praticamente zero, como verificado em Mar de Espanha (MG), Olho D’Água do Piauí (PI) e Coronel Ezequiel (RN).