• Últimas Notícias

    sexta-feira, 24 de agosto de 2018

    Não há nível seguro no consumo de bebidas alcoólicas, 100 mil morrem por ano no Brasil

    O teste considerou 11 marcas de cervejas vendidas em latas de 350mlO álcool provoca cerca de 2,8 milhões de mortes anuais em todo mundo, das quais quase 100 mil no Brasil, aponta estudo publicado nesta quinta-feira no prestigiado periódico médico “The Lancet”. De acordo com a pesquisa - que levou em conta dados de 195 países da série de estudos Fardo Global das Doenças, do Instituto de Métricas e Avaliação em Saúde (IHME, na sigla em inglês) da Universidade de Washington, EUA -, o consumo de bebidas alcoólicas e as doenças a ele relacionadas estão entre os principais fatores de risco e incapacitação evitáveis no planeta, respondendo por aproximadamente uma em cada dez mortes de pessoas com entre 15 e 49 anos e liderando as causas de morte prematura de pessoas nesta faixa etária.

    Diante disso, os cientistas responsáveis pelo levantamento sugerem que não há níveis seguros para uso do álcool, com qualquer benefício trazido por seu consumo moderado, em especial para o sistema cardiovascular, sendo largamente contrabalançado pelos seus efeitos adversos em outros aspectos da saúde, principalmente o desenvolvimento de câncer, que crescem exponencialmente com seu abuso.

    - Estudos prévios encontraram um efeito protetor do álcool sob algumas condições, mas descobrimos que os riscos combinados à saúde associados ao álcool aumentam com qualquer quantidade (consumida) – diz Max Griswold, do IHME e líder da pesquisa. - Em particular, há uma forte associação entre o consumo de álcool e os riscos de câncer, ferimentos e doenças infecciosas que compensa os efeitos protetores contra doenças isquêmicas do coração nas mulheres. E embora os riscos à saúde do álcool comecem pequenos com uma dose por dia, eles crescem rapidamente à medida que as pessoas bebem mais.

    Segundo os cálculos dos cientistas, um ano consumindo diariamente apenas uma dose de álcool – isto é, 10 gramas puros da substância, o equivalente ao encontrado em uma pequena taça de vinho tinto (100 ml) com 13% de álcool por volume; uma lata de cerveja (375 ml) com 3,5% de álcool; ou uma dose de uísque ou outros destilados (30 ml) a 40% por volume – já aumenta o risco de desenvolvimento de uma das 23 doenças ou problemas relacionadas ao seu consumo – que vão de cardiovasculares a câncer, passando por infecções respiratórias, cirrose e diabetes, bem como violência interpessoal, acidentes de trânsito, afogamentos e outros ferimentos não intencionais – em pessoas com 15 a 95 anos em 0,5% se comparado a uma abstinência total no período. Já se o consumo chegar a duas doses por dia este risco sobe em 7%, enquanto no caso de cinco doses diárias ele vai para 37% maior.

    EXTRA

    Boleto vencido a partir de R$ 400 poderá ser pago em qualquer banco

    A partir deste sábado (25), será possível pagar em qualquer banco os boletos vencidos com valor igual ou superior a R$ 400. Até agora, esses boletos atrasados só podiam ser pagos no banco emissor do documento.

    Segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), o boleto vencido poderá ser pago por qualquer canal, seja internet banking, aplicativos de celular ou caixas eletrônicos. O próprio sistema irá calcular o valor da multa e os juros automaticamente, na hora em que o cliente for realizar o pagamento.

    Como funciona o novo sistema

    Ao emitir um boleto, o banco terá que registrar as informações sobre aquela cobrança em um sistema nacional. Por exemplo, o valor a ser pago, quanto será cobrado de multa, juros e encargos após o vencimento, além de dados de quem deve pagar e de quem irá receber.

    Assim, mesmo se o boleto estiver vencido, qualquer banco (não só o emissor do boleto) conseguirá acessar esse sistema e calcular o valor a ser pago pelo consumidor.

    Beto Barbosa se prepara para primeira sessão de quimioretapia: "Confiante"

    O cantor Beto Barbosa publicou nas redes sociais que está com câncer e passa nesta sexta, dia 24, pela primeira sessão de quimioterapia.

    "Meu primeiro dia de Quiomioterapia. Super confiante na equipe do Dr. Fernando Maluf e o nosso poderoso Deus. Continuo amando Deus diante de todas as coisas, vocês, minha família e minha profissão", escreveu o cantor.

    Beto disse ainda que vai cumprir toda a agenda de shows normalmente. Fãs demonstraram apoio ao cantor:

    "Deus existe e está com você assim como nós. Te mando boas vibrações e vou orar por você. Continue sorrindo, Rei", escreveu um seguidor, reforçando o título do "Rei da lambada". "Estamos orando sempre por você", disse outro fã.

    Felipe Barbosa, filho do cantor, também demonstrou o apoio ao pai pelo Instagram:

    "Que Deus abençoe sempre, paizão! Vamos vencer essa batalha juntos! O senhor sempre foi guerreiro e agora não será diferente. Deus no comando sempre", escreveu Felipe. O Globo Extra

    Depois de dar um calote no Brasil agora a Venezuela quer cortar fornecimento de energia para Roraima em setembro

    A Venezuela poderá interromper a partir da primeira semana de setembro o fornecimento de energia ao estado de Roraima, o único que não é interligado ao sistema elétrico brasileiro e que depende em grande parte das importações vindas do país vizinho. O aviso foi feito ao governo brasileiro por meio de ofício encaminhado à Eletronorte no dia 4 de junho.

    A estatal venezuelana Corpoelec deu prazo de 90 dias para receber o pagamento de uma dívida, de ao menos US$ 33 milhões (R$ 136 milhões), que a Eletrobras acumula com a estatal venezuelana pela compra de energia usada para abastecer o estado.

    O motivo do não pagamento não é falta de recursos, mas sim um problema operacional, segundo a estatal. Em junho deste ano, a Eletrobras relatou que os bancos nacionais vinham encontrando dificuldade para processar a operação.

    Desde 2001, o Brasil tem uma parceria com a Venezuela para o fornecimento de luz em Roraima, estado em que a energia importada representa entre 65% e 90% do total, a depender do consumo mensal. O acordo tem prazo de 20 anos e, portanto, vence em 2021.

    Em dívida com o Brasil

    O BNDES informou que a Venezuela está inadimplente em US$ 135 milhões com a instituição. O país vizinho atrasou o pagamento de uma parcela vencida em janeiro. O saldo devedor soma US$ 814 milhões, conforme o dado do fechamento de 2017, como revelou o Estadão/Broadcast em janeiro.

    Segundo o BNDES, o total de vencimentos em 2018 de dívidas da Venezuela cobertas pelo FGE soma US$ 436,85 milhões. Desse valor, US$ 278,2 milhões são de empréstimos do BNDES. O restante refere-se a financiamentos de bancos privados.

    Esses empréstimos problemáticos foram concedidos durante as gestões dos governo dos presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

    Governo federal gasta R$ 268 milhões em 145 UPAs prontas e fechadas

    Falta de planejamento, promessas eleitorais e baixo orçamento dos municípios. Essas são algumas razões para o desperdício de mais de R$ 268 milhões investidos pelo governo federal na construção de 145 UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) que, embora estejam prontas, permanecem de portas fechadas em todas as regiões do Brasil. Criadas para o atendimento emergencial da população, essas unidades de saúde acumulam poeira enquanto sua demanda é escoada para as filas de outros hospitais. 

    São Paulo é o estado com mais UPAs de portas fechadas: 22 postos. É seguido pela Bahia e Pará, com 13 prédios cada um, Paraná, com 11, Ceará, com 10, Rio Grande do Sul e Pernambuco, com 9 cada um. Goiás (8), Mato Grosso (8), Piauí (5), Espírito Santo (5), Tocantins (5), Minas Gerais (5), Santa Catarina (4), Rio de Janeiro (3), Rio Grande do Norte (3), Rondônia (3), Paraíba (2), Amazonas (2) e Amapá (1) completam o ranking. 

    Em média, cada unidade custou R$ 1,8 milhão aos cofres públicos. A mais barata saiu por R$ 35.700, em Realeza, no Paraná. As mais caras custaram R$ 4 milhões. São as UPAs de Fortaleza, Cariacica (Espírito Santo), Belém e Bacabal (Maranhão), entregues entre 2016 e fevereiro deste ano. Mas existem UPAs prontas e sem uso há mais tempo. Dezesseis delas estão trancadas desde 2014, quatro foram entregues em 2013 e outras quatro em 2012. A unidade mais antiga espera há sete anos para receber pacientes. Leia mais no UOL

    Julgada improcedente Ação de Improbidade contra presidente de Câmara de São José de Campestre

    O Grupo de Apoio à Meta 4 do CNJ julgou improcedente uma Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa ajuizada pelo Ministério Público estadual contra o presidente da Câmara Municipal de São José de Campestre, Jailson José da Silva. O MP acusava vereador de, na condição de presidente daquela Casa Legislativa, ter cometido irregularidades em sua gestão.

    A equipe de juízes do TJRN julga processos que envolvem improbidade administrativa e corrupção.

    Segundo o órgão acusador, Jailson José coagiu os servidores da câmara municipal a assinar termo de renúncia do salário relativo ao mês de dezembro de 2010. Sustentou, ainda, que logo após a assinatura dos termos de renúncia determinou a exoneração de todos os servidores, readmitindo-os apenas em 31 de dezembro de 2010, configurando ato de improbidade administrativa, com a transgressão dos princípios da legalidade e da moralidade.

    Jailson José defendeu que, apesar da Lei Orçamentária Anual ter aprovado o repasse do duodécimo no percentual de 8%, a EC 58/2009 diminuíra para 7%. Além do mais, apesar do Tribunal de Justiça do RN ter determinado que a municipalidade cumprisse o repasse previsto na LOA, o trânsito em julgado da decisão só se operacionalizou em 2012, de modo que o repasse da diferença ocorreu apenas em 2013, obrigando-o a proceder com contenção de despesas.

    O Grupo considerou que, no caso, as supostas irregularidades narradas na ação judicial, como a coação dos servidores público, pelo presidente da câmara municipal, para assinar termo de renúncia do salário de dezembro de 2010, não ficaram comprovadas. “Com efeito, competia ao Ministério Público desincumbir-se do ônus de comprovar a veracidade de suas assertivas, o que não se verificou na espécie”, assinalou.

    Ao analisar os documentos dos autos, o Grupo constatou que os servidores pertencentes aos quadros da Câmara Municipal foram exonerados no início do mês de dezembro, de forma que não se verifica qualquer ilegalidade no não pagamento do salário, frente a ausência de prestação de serviços por parte dos empregados.

    A ponte que simboliza o desespero do êxodo venezuelano

    Ponte Internacional Simón Bolívar
    A crise humanitária na Venezuela provocou uma das maiores migrações em massa da história da América Latina.

    O presidente, Nicolás Maduro, culpa a quem chama de os "imperialistas"- principalmente os Estados Unidos -, que teriam lançado uma guerra econômica contra a Venezuela ao impor sanções.

    Mas críticos dizem, por outro lado, que a crise é resultado de má gestão por Maduro e seu antecessor, Hugo Chávez.

    A Venezuela tem uma das maiores reservas de petróleo do mundo. Já foi um país tão rico que o Concorde (avião supersônico de passageiros) costumava voar de Caracas para Paris.

    Agora, quatro em cinco venezuelanos vivem na pobreza, e é comum que as pessoas precisem ficar horas na fila para comprar comida. Há gente morrendo por falta de medicamento. A inflação alcançou 82.766% e pode chegar a um milhão por cento até o final do ano, segundo estimativas do Fundo Monetário Internacional (FMI).

    Diante desse cenário, os venezuelanos querem sair do país em busca de melhores condições. Segundo as Nações Unidas, 2,3 milhões de pessoas deixaram a Venezuela, o que representa 7% da população. Mas de um milhão chegaram à Colômbia nos últimos 18 meses.

    Muitos deles cruzaram a Ponte Internacional Simón Bolívar, que tem 300 metros de cumprimento e 5 metros de largura. Ela se estende sobre o rio Táchira, no leste dos Andes, que corre ao longo da fronteira entre a Colômbia e a Venezuela.

    Continue a leitura AQUI