• Últimas Notícias

    domingo, 27 de maio de 2018

    Temer anuncia redução de R$ 0,46 no diesel por 60 dias

    Na noite de domingo (27), o presidente Michel Temer fez um pronunciamento sobre as medidas tomadas para conter a greve dos caminhoneiros, que teve início na segunda-feira (21). O governante falou sobre as medidas tomadas nos últimos dias, entre elas a redução de R$ 0,46 no diesel por 60 dias, uma das reivindicações dos manifestantes. 

    "Essa redução corresponde aos valores do Pis/Cofins e da Cide somados. Para chegar a esses R$ 0, 46, o governo está assumindo sacrifícios no orçamento e, naturalmente, honrará essa diferença de custo, sem nenhum prejuízo para a Petrobras", explicou Temer, durante o discurso.


    Política: A oito dias da eleição suplementar, pesquisas de intenção de votos agitam os bastidores em São José do Campestre

    Dois institutos de pesquisa eleitoral registraram suas respectivas pesquisas no Tribunal Regional Eleitoral - TRE/RN nesse final de semana e serão divulgadas no final da próxima semana antes da eleição suplementar que será realizada no próximo domingo dia 03 de junho na cidade de São José do Campestre, no agreste do RN. 

    A primeira realizada pelo instituto SETA, encomendada pelo editor deste Blog O Paralelo, será divulgada na próxima quinta-feira (31), já a segunda pesquisa,  a ser realizada pelo instituto Consult, que foi contratado por um comerciante da cidade de Campestre, será divulgada no sábado, dia 02 de junho, a menos de 24 horas da eleição.

    O objetivo de ambas as pesquisas é saber quais são os candidatos a prefeito – pelo menos os prováveis – que chegarão ao pleito, no próximo domingo.

    Dados curiosos

    A pesquisa Consult, aquela que errou feio ao afirmar a vitória de Henrique Eduardo Alves no primeiro torno na ultima eleição para governo do Estado, entrevistará 440 eleitores, sua margem de erro é de 4,7% para mais ou para menos.

    Já o instituto SETA, que previu e acertou apontando a vitória do prefeito Jorginho na cidade de Tangará na última eleição, entrevistará 300 eleitores e sua margem de erro é de apenas 3% para mais ou para menos.



    Governadores criticam gestão Temer e Petrobras e rejeitam abrir mão de ICMS

    Em carta divulgada neste sábado (26), governadores de sete estados criticam duramente a gestão Michel Temer (MDB) e a política de preços dos combustíveis da Petrobras, alvo principal dos caminhoneiros que fazem paralisação no país há seis dias.

    Além disso, dizem que a proposta de os governos estaduais renunciarem às receitas do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre os combustíveis é inaceitável. Pressionado pela greve dos caminhoneiros, o presidente cobrou ontem que os governos estaduais reduzam o imposto.

    “Consideramos absolutamente inaceitável a tentativa do governo federal de transferir para os estados a responsabilidade pela solução de uma crise que foi provocada pela União, através de uma política de preços de combustíveis absurda, perversa e irresponsável. Colocar sobre os estados federados o ônus de qualquer redução da alíquota sobre os combustíveis – além de ser desrespeitoso – é atitude inconsequente”, afirmam os governadores no comunicado.

    O documento tem o apoio dos governadores de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB); da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB); de Sergipe, Belivado Chagas (PSD); além dos petistas Rui Costa (Bahia), Fernando Pimentel (Minas Gerais), Camilo Santana (Ceará) e Wellington Dias (Piauí).

    Polêmica: STF deve julgar em 6 de junho uso de voto impresso nas eleições

    O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar em 6 de junho se aceita um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para revogar o uso do voto impresso nas eleições deste ano. O julgamento foi marcado na sexta (25) pela ministra Cármen Lúcia, presidente da Corte.

    Para a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, autora da ação direta de inconstitucionalidade (ADI) sobre o assunto, o voto impresso “causará transtornos ao eleitorado, aumentará a possibilidade de fraudes e prejudicará a celeridade do processo eleitoral”, sendo inconstitucional também por ter o potencial de comprometer o sigilo do voto.

    Raquel Dodge pediu uma liminar (decisão provisória) urgente para revogar a implementação do voto impresso, previsto na lei 13.650/2015 (minirreforma eleitoral). Para ela, a medida cautelar é necessária para evitar gastos desnecessários na proximidade das eleições.