• Últimas Notícias

    segunda-feira, 11 de junho de 2018

    Suspeitos morrem após troca de tiros com a polícia em festa de facção no RN; ação também resultou em prisões

    Suspeitos que estavam na festa do Sindicato do Crime do RN foram levados para a delegacia de São Pulo do Potengi (Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi)
    (Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi)
    Três pessoas morreram, uma ficou ferida e mais de 30 foram presas em uma ação conjunta entre as polícias Civil e Militar realizada nesta segunda-feira (11), na zona rural de São Paulo do Potengi, região agreste potiguar. A operação aconteceu durante uma festa de uma facção criminosa.

    A Polícia Civil recebeu uma denúncia de que estaria acontecendo uma festividade convocada pela facção Sindicato do Crime do RN em uma granja na região. Os agentes pediram apoio da Polícia Militar e foram até o local. Quando chegaram por lá, foram recebidos a tiros. Quatro homens teriam se levantado das mesas que estavam no terraço da propriedade e atirado contra os policiais. Foi aí que iniciou o confronto.

    Três desses homens morreram e o outro foi socorrido em estado grave para o hospital. Mais de 30 pessoas que estavam na festa foram levadas para a delegacia da cidade.

    Na granja, os policiais apreenderam ainda três motocicletas, três carros, quatro armas e porções de crack e cocaína. Segundo a polícia, um dos homens que morreu na troca de tiros é suspeito de chefiar o tráfico de drogas na região Agreste e de ser um dos líderes da facção Sindicado do Crime em São Paulo do Potengi e municípios vizinhos.

    Com informações do Portal G1RN

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.