• Últimas Notícias

    segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

    Preço do etanol sobe em 15 Estados e no Distrito Federal, diz ANP

    Resultado de imagem para etanol hidratado nos postosOs preços do etanol hidratado nos postos brasileiros subiram em 15 Estados e no Distrito Federal na semana passada, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. Em outras 10 unidades da federação houve recuo nos preços do biocombustível. A ANP não divulgou os valores nos postos do Amapá.

    Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, a cotação média do hidratado apresentou alta de 1,94% na semana, de R$ 2,669 pra R$ 2,721 o litro. No período de um mês, os preços do combustível subiram 8,57% nos postos paulistas. A maior alta no preço do biocombustível na semana passada, de 4,22%, foi em Alagoas. A maior baixa semanal, de 11,03%, ocorreu em Goiás.

    No período de um mês, os preços do etanol subiram em 20 Estados e no Distrito Federal, com destaque para São Paulo, onde avançaram 8,58%. O maior recuo mensal foi em Mato Grosso, 5,49%.
    No Brasil, o preço mínimo registrado na semana para o etanol em um posto foi de R$ 1,99 o litro, em Mato Grosso, e o máximo individual foi de R$ 4,399 o litro, no Rio Grande do Sul. O menor preço médio estadual foi de R$ 2,308 o litro, também em Mato Grosso, e o maior preço médio ocorreu no Rio Grande do Sul, de R$ 3,705 o litro.

    Competitividade

    Petrobras eleva preço do gás de cozinha em 8,9%; alta já soma 68% desde junho

    Imagem relacionadaA Petrobras elevará os preços do gás de cozinha a distribuidoras em 8,9 por cento a partir de terça-feira, impulsionando para cerca de 68 por cento a alta acumulada desde o início de junho, quando a estatal anunciou uma nova política de preços do produtos com reajustes mais frequentes.

    Em nota nesta segunda-feira, a Petrobras explicou que o aumento segue a alta dos preços globais do produto, que acompanharam o petróleo tipo Brent, negociado atualmente perto dos maiores níveis em mais de dois anos, acima de 60 dólares o barril.


    Agora lascou: ‘Heterossexuais não têm mais direito algum’, diz ministro do STJ

    João Otávio de Noronha, o corregedor nacional de Justiça, disse em um seminário no STJ que um juiz constitucional não pode ser pautado apenas pelas minorias, relata o site Jota.

    “Aliás, já vi que quero meus privilégios, porque os heterossexuais estão virando minoria”, acrescentou Noronha, que também é ministro do STJ. Para ele, os heterossexuais “não têm mais direito algum”. 

    O Antagonista

    Série A do Brasileirão 2018 terá número recorde de times nordestinos

    O futebol nordestino estará mais representado do que nunca na elite do Brasileirão no próximo ano. Pela 1ª vez na história, a Região terá quatro representantes na Série A em 2018: Ceará-CE, Sport-PE, Bahia-BA e Vitória-BA. Até hoje, o Nordeste só conseguiu reunir três times na 1ª Divisão do Brasileiro, em oito oportunidades: 2003, 2007, 2008, 2009, 2012, 2013, 2014 e 2017. 

    Na geografia do Brasileirão, duas regiões do País não contarão com representantes: Norte e Centro-Oeste, que perdeu o único representante que tinha, o Atlético-GO. A região Sul contará com 5 representantes. A recordista em participantes continua sendo o Sudeste, com 11 times. 

    Confira os 20 times que disputarão a Série A 2018 por Região:
    Nordeste: Sport, Ceará, Bahia e Vitória (4)
    Sudeste: Corinthians, São Paulo, Palmeiras, Santos, Flamengo, Fluminense, Vasco, Botafogo, Cruzeiro, Atlético-MG e América-MG (11) 
    Sul: Grêmio, Internacional, Chapecoense, Atlético-PR e Paraná (5) 


    Congresso deve votar projetos sobre casamento gay e aborto esta semana

    Resultado de imagem para casamento gayO Congresso Nacional deve votar nesta semana o projeto de lei que reconhece o casamento gay e a proposta que proíbe o aborto. As duas discussões podem entrar na pauta no momento em que o governo enfrenta dificuldades para conseguir votos para aprovar outras propostas, como a reforma da Previdência.

    O texto sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo (PLS 612/2011), de autoria da senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) deve ser discutido em plenário pelo Senado. A proposta determina como entidade familiar “a união estável entre duas pessoas” e não mais “entre o homem e a mulher”, como está previsto hoje no Código Civil.

    Veja