• Últimas Notícias

    sexta-feira, 10 de março de 2017

    Silêncio imposto a PMs no Brasil é alvo de críticas da Human Rights Watch, relatório alerta sobre punições desproporcionais aos PMs

    Policiais Militares do Espírito Santo.
    El País - A pós mais de uma década como policial militar no Ceará, Darlan Menezes Abrantes decidiu escrever um livro. Titulou-o Militarismo: um Sistema Arcaico de Segurança Pública e a obra acabou com a carreira dele. Darlan que, até então, era considerado um praça excelente, foi expulso da corporação em 2014 e foi ainda condenado por um juizado militar a dois anos de prisão em 2016. Seu crime não foi executar, abusar da sua autoridade ou se corromper. Foi apenas falar. Seus superiores consideraram que Darlan incitou “à desobediência, à indisciplina ou à prática de um crime militar”. O livro, que defende o fim do militarismo na corporação e compara os oficiais com “senhores feudais”, continha “graves ofensas”.

    Darlan conseguiu que o juiz suspendesse sua prisão, mas sob cinco condições: não voltar a delinquir, não ingerir bebidas alcoólicas, não frequentar casas de jogos, não portar armas de fogo ou armas brancas e comparecer ao tribunal uma vez por mês. É o preço a pagar pela liberdade de expressão. “Eu para eles sou um criminoso só porque eu tive a ousadia de pensar diferente, a ousadia de dizer que o sistema [militar] não funciona mais no nosso país”, disse à época Darlan .“Sou a prova viva de que a Polícia Militar não respeita a democracia nem a liberdade de expressão”.

    O caso do ex-soldado Darlan ilustra o último relatório da ONG Human Rights Watch (HRW), que mostra preocupação pelas punições desproporcionais às quais estão sujeitos os 436.000 policiais militares do Brasil por, apenas, defender publicamente mudanças no modelo policial ou fazer reclamações. “Aqueles que enfrentam diariamente o crime nas ruas podem oferecer perspectivas valiosas sobre as políticas de segurança e reforma policial, e devem ter o direito de expressar suas opiniões sem o receio de serem punidos arbitrariamente”, afirma Maria Laura Canineu, diretora do escritório no Brasil da HRW.

    Policiais civis do RN decidem paralisar por 24 horas e terão assembleia com indicativo de greve

    Os policiais civis do Rio Grande do Norte decidiram aderir a uma paralisação nacional que acontecerá na próxima quarta-feira (15), bem como marcaram uma assembleia com indicativo de greve para o dia seguinte - quinta-feira (16).

    A categoria realizou um ato em frente à Governadoria nesta quinta-feira (9), aguardando uma reunião com o governador Robinson Faria (PSD), que aconteceria às 11h. O encontro não ocorreu, pois a equipe de governo informou que o chefe do Executivo estava doente. Com isso, a chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha, recebeu o Sinpol-RN no final da tarde.

    PARALISAÇÃO NACIONAL
    Sobre a paralisação de 24 horas no dia 15 de março, os policiais civis decidiram aderir a um movimento nacional que será realizado por policiais em todo o Brasil, bem como por outras categorias. O objetivo é pressionar o Governo Federal e Congresso Nacional contra a reforma da Previdência.

    “É importante a presença de todos os policiais nesses dois dias de luta que estão programados para a semana que vem. Trata-se do futuro de cada um de nós e precisamos lutar para não termos direitos retirados e para conquistarmos novas vitórias”, disse o presidente do SINPOL-RN.

    Apresentador diz que deixou de ser gay por causa da Igreja Universal

    Resultado de imagem para Ronaldo ÉsperRonaldo Ésper ficou famoso no mundo da moda por desenhar vestidos de noiva. A partir de então, o estilista passou a fazer parte do 'Superpop' e chegou a substituir Clodovil no 'A Casa é Sua', sempre cercado de declarações polêmicas.

    Em recente participação no 'Sensacional', de Daniela Albuquerque, o apresentador fez algumas revelações sobre sua vida pessoal, sem papas na língua.

    Em uma delas, ele revela que não é mais gay desde que se converteu à religião evangélica e entrou para a Igreja Universal. Além disso, Ésper contou que namorou um ministro na época da ditadura militar.

    O programa de Daniela Albuquerque com Ronaldo Ésper vai ao ar no dia 19 de março. (Notícias ao Minuto)

    Tribunal rejeita a queixa-crime de Lula contra o juiz Sergio Moro

    Resultado de imagem para lula e moroO Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, rejeitou nesta quinta-feira a queixa-crime movida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus quatro filhos, Luís Cláudio, Fábio Luís, Sandro Luís e Marcos Cláudio, contra o juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em Curitiba. Os seis desembargadores da 4ª Seção do TRF4 tomaram a decisão por unanimidade.

    Segundo o desembargador Sebastião Ogê Muniz, relator da ação, as acusações de Lula a Moro já motivaram outras duas notícias crime contra o juiz, arquivadas pela Justiça a pedido do Ministério Público Federal (MPF).

    Enem 2017 será em dois domingos consecutivos: 5 e 12 de novembro

    O Ministério da Educação (MEC) anunciou mudanças no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que, este ano, será realizado em dois domingos consecutivos – dias 5 e 12 de novembro – e não mais em um único fim de semana. As inscrições estarão abertas de 8 a 19 de maio. O resultado do exame será divulgado no dia 19 de janeiro de 2018.

    A medida deverá beneficiar os sabatistas, adeptos de religiões que guardam o sábado. Até o ano passado, eles tinham que ficar isolados em uma sala das 13h (horário de início da prova) até o sol se pôr e faziam as provas de sábado à noite.

    No primeiro domingo, os estudantes farão provas de ciências humanas, linguagens e redação. No segundo, as provas serão de matemática e ciências da natureza. Até o ano passado, o exame era realizado em um sábado e um domingo, no mesmo fim de semana, e a prova de redação era aplicada no segundo dia de exame. Com a mudança, no primeiro domingo, os estudantes terão cinco horas e meia de prova e, no segundo, quatro horas e meia.

    Quadrilha suspeita de roubo a bancos, Correios e carro-forte é presa no RN

    A Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor) prendeu, nesta quinta-feira (9) quatro pessoas e indiciou por novos crimes outras quatro que já estavam presas. Todos os envolvidos são suspeitos de integrar uma quadrilha de roubo a bancos, Correios e carro-forte. Segundo a Deicor, os crimes aconteceram entre 2016 e 2015. Outras cinco pessoas são procuradas pela Polícia Civil.

    ImagemAinda segundo a Divisão Especializada, as investigações começaram há seis meses, depois que homens fortemente armados tentaram roubar o dinheiro de um carro-forte que estava estacionado em um supermercado na Avenida Maria Lacerda, na Grande Natal.

    De acordo com a Deicor, grupo era composto, em sua maioria, por foragidos da Justiça e integrantes de facções criminosas e funcionava de forma articulada, sendo suspeito por diversos roubos no Rio Grande do Norte e em outros estados.

    A polícia descobriu uma granja em São José de Mipibu, na Grande Natal, que servia de esconderijo para parte da quadrilha. Um arsenal com pistolas, espingardas, grampos para furar pneus e explosivos foi apreendido.

    O bando costumava se dividir em outros pequenos bandos para ações menores, e segundo a Deicor, usava boa parte do dinheiro dessas ações para comprar drogas e multiplicar o capital. Para os delegados da Deicor, comprovadamente o bando agiu em ao menos dez ocasiões entre 2016 e 2017, mas há outros casos suspeitos que estão sendo investigados.

    Segundo o delegado geral da Polícia Civil do RN, Claiton Pinho, as ações da operação Fogo contra Fogo são resultado de investigações integradas entre a Deicor e vários órgãos de forças policiais de diversos estados, através da constante troca de informações.

    “Conseguimos prender diversos foragidos da Justiça que participavam de várias células que praticavam ações criminosas não só no Rio Grande do Norte, como também em vários estados. Policiais da Deicor têm trabalhado intensamente para desarticular quadrilhas que vêm realizando assaltos a instituições bancárias e com os resultados de hoje conseguimos enfraquecer essas organizações criminosas, apreendendo uma grande quantidade de armamento, explosivos e veículos roubados”, detalha o delegado geral, Claiton Pinho.

    Portal G1

    Governo do RN paga neste sábado quem ganha entre R$ 3.001 e 4 mil

    O Governo do RN deposita amanhã, sábado (11), os vencimentos relativos ao mês de fevereiro dos servidores ativos, aposentados e pensionistas que recebem entre R$ 3.001 e R$ 4 mil, equivalente a um total de R$ 46 milhões.

    Somando com a Educação, Administração Indireta que possuem recursos próprios e com os funcionários que recebem até R$ 3 mil, que já receberam seus vencimentos, o governo quitará 82% da folha do Estado.

    O pagamento para os servidores que ganham acima de R$ 4 mil será anunciado em breve, a partir da disponibilidade de recursos.

    TSE faz acareação nesta sexta-feira com Marcelo Odebrecht e ex-executivos

    Quatro ex-executivos da Odebrecht serão submetidos a acareação hoje no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no processo que poderá levar à cassação da chapa Dilma-Temer. Serão ouvidos Marcelo Odebrecht, Cláudio Melo Filho, Hilberto Mascarenhas e Benedicto Barbosa da Silva Junior. O objetivo é que eles possam esclarecer pontos divergentes sobre a atuação de Temer na arrecadação de recursos para a campanha de 2014.

    Como estratégia de defesa, Temer tenta separar a análise das contas, alegando que não tem responsabilidade sobre eventuais ilegalidades cometidas pela titular da chapa. Ele também poderá pedir a nulidade dos depoimentos de executivos e ex-executivos da Odebrecht, caso sejam prejudiciais à sua defesa.

    Ontem, o relator do processo no TSE, ministro Herman Benjamin determinou que mais um executivo da Odebrecht seja interrogado. Na tarde de hoje, será ouvido, após a acareação, Fernando Migliaccio. Nas investigações da Lava-Jato, Migliaccio é apontado como responsável por offshores e contas que foram usadas pela Odebrecht para pagar propina no exterior. Ele teria feito repasses ao publicitário João Santana e para a mulher dele, Mônica Moura. Santana foi o marqueteiro da campanha da chapa vencedora da eleição de 2014, com Dilma Rousseff como candidata a presidente e Temer, a vice.

    Na quarta, o TSE já tinha marcado mais dois depoimentos: José de Carvalho Filho, que trabalhou na área de Relações Institucionais da Odebrecht e teria participado das negociações de repasses de recursos a diversos políticos; e Maria Lúcia Tavares, que trabalhava no Setor de Operações Estruturadas, o chamado “departamento de propina” da empreiteira. Os dois também serão ouvidos hoje.


    META É JULGAR CASO ATÉ ABRIL