• Últimas Notícias

    sábado, 14 de janeiro de 2017

    PF: Cunha, Geddel e o repasse a pedido do Pastor

    Pastor Everaldo
    O relatório da Polícia Federal (PF) que embasou a Operação Cui Bono – deflagrada nesta sexta-feira (13) em três estados e no Distrito Federal –, registra trocas de mensagens entre o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) nas quais eles discutem “repasses” para o Partido Social Cristão (PSC) a pedido do presidente da legenda, Pastor Everaldo. Segundo a PF, as mensagens foram trocadas entre os peemedebistas em 2012.

    A ação da PF nesta sexta buscou provas de um esquema de fraudes na liberação de créditos junto à Caixa Econômica entre 2011 e 2013. Geddel foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa no período investigado pela PF. À época, Eduardo Cunha era líder do PMDB na Câmara.

    PF investiga Geddel em esquema de liberação de verba da Caixa

    Em nota, o PSC afirmou que todas as doações feitas ao partido "obedecem à legislação eleitoral vigente e são devidamente informadas à Justiça Eleitoral por meio das prestações de contas".

    Por G1