• Últimas Notícias

    segunda-feira, 13 de novembro de 2017

    MPT pede condenação da Igreja Católica por pedofilia na Paraíba

    O Ministério Público do Trabalho (MPT) ajuizou, há cerca de um mês, na 3ª Vara do Trabalho, ação civil pública contra a igreja católica por violações aos direitos da infância e a juventude. O órgão pede a condenação da igreja em virtude de casos de pedofilia envolvendo a Arquidiocese da Paraíba.

    Para ingressar com a ação o MPT se baseou em depoimento testemunhal das vítimas, que comprovaram as práticas sexuais. No processo, o MPT apurou a exploração sexual de meninos para fins comerciais como uma forma de trabalho infanto-juvenil.

    Os crimes ocorrem há vários anos e há indícios de que religiosos continuam praticando os delitos na Paraíba. Depoimentos das vítimas que chegaram a vazar em redes sociais durante a investigação mostram que padres ofereciam dinheiro e até lanches e roupas para manter relações sexuais com adolescentes.

    Uma das vítimas aponta que um padre chegou a se relacionar sexualmente com um jovem dentro da própria igreja. Orgias em propriedades privadas e casos de assédio também são relatados por várias vítimas.

    O procedimento de investigação chegou a ser suspenso em 2016 pelo vice-procurador-geral da República, José Bonifácio Borges, que entendeu não ser competência do MPT investigar os crimes denunciados. Porém, o Conselho Nacional do Ministério Público arquivou denúncia que questionava a atuação do MPT.

    Incalculável número de vítimas

    A lista de vítimas dos padres é incalculável, já que a suspeita é de que os casos de pedofilia ocorram há vários anos. Acusações pesam contra os monsenhores Jaelson e Ednaldo, citados de forma recorrente por vítimas que prestaram depoimento.

    Monsenhor Jaelson é acusado de levar meninos para quartos construídos atrás da igreja e manter relações sexuais até mesmo dentro da igreja. Em troca, o religioso ofertava lanches e roupas, conforme o depoimento. Por sua vez, monsenhor Ednaldo é acusado de pagar até R$ 400 para fazer sexo jovens.

    Com informações MaisPB

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.