• Últimas Notícias

    quarta-feira, 12 de julho de 2017

    Escolas particulares podem aderir a sistema de avaliação até a sexta (14)

    O prazo para escolas particulares aderirem ao Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2017 termina nesta sexta-feira (14). O Saeb verifica o desempenho das escolas no Brasil e este é o primeiro ano em que fica aberto às instituições privadas, com participação facultativa.

    As escolas participantes, que cumprirem os critérios determinados, terão o cálculo de seu Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), antes restrito às escolas públicas. O indicador é divulgado a cada dois anos, e combina resultados do Saeb com os dados do censo escolar.

    A adesão pode ser feita por termo disponível no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela avaliação. Ao se inscreverem, as escolas devem preencher os dados declarados ao censo escolar deste ano e do ano passado. É necessário o pagamento de uma taxa.

    No sistema, serão avaliados estudantesdos quinto e nono anos do ensino fundamental, além do terceiro ano do ensino médio. Estima-se que, neste ano, 7.619.852 alunos, em 14.825 escolas, participem do processo.

    Além de avaliar a qualidade da educação básica, o sistema oferece subsídios para a formulação, a reformulação e o monitoramento de políticas educacionais. Agora é o Saeb o responsável pelo Boletim da Escola, que antes era feito a partir do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

    Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Educação

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.