• Últimas Notícias

    domingo, 14 de maio de 2017

    Jogadores do ABC usam faixa preta no braço em protesto contra reformas trabalhistas e da previdência

    Jogadores do ABC usam faixa preta no braço em protesto contra reformas trabalhistas e da previdência
    No estádio Frasqueirão em Ponta Negra, o ABC Futebol Clube está estreando na Série B contra o Paraná Clube. O clube está usando seu uniforme tradicional com uma faixa preta no braço simbolizando “luto” pela morte dos direitos trabalhistas e previdenciários da população, segundo informações do jornalista Augusto César Gomes,do GloboEsporte.com a informação foi confirmada pela assessoria do clube.

    Complemento da notícia do G1:

    Na partida deste sábado, os jogadores do ABC usaram uma faixa preta no braço em protesto às reformas previdenciária e trabalhista, que tramitam no Congresso Nacional. A assessoria do clube confirmou. O movimento é organizado pela Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf). Jogadores de Flamengo e Atlético-MG, na abertura da Série A, também participaram do protesto.

    Em nota, a Fenapaf destaca que o protesto é contra contra as modificações no texto da Lei Pelé, que podem trazer prejuízo a quase 30 mil profissionais no país. “Modificação na estrutura do direito de arena, parcelamento de férias, repouso semanal remunerado em 02 períodos de 12 horas, fim do recesso coletivo do calendário e insegurança contratual estão nas propostas de mudança que tramitam no Congresso Nacional e causam revolta na categoria”, diz a publicação.

    (O Natalense)

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.