• Últimas Notícias

    sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

    RN lidera ranking de mortes entre torcedores no futebol brasileiro

    O Rio Grande do Norte é o estado que mais se destaca negativamente. Os torcedores do América-RN somam as maiores vítimas, com 22 mortes registradas desde 1988. Como não poderia ser diferente, o seu maior rival ABC está no topo dos maiores causadores, com 21 mortes, sendo 18 de torcedores alvi-rubros - confusões com outras torcidas são responsáveis pelas outras vítimas. 

    A rivalidade em Goiás é barril de pólvora para colocarem esmeraldinos e colorados em posições de destaque nos dois rankings. Os torcedores do Vila Nova ocupam a quarta colocação entre as vítimas (17) e a sexta entre os causadores (14). Já os do Goiás, por sua vez, ocupam a sétima posição entre os que perderam a vida (13) e a quinta posição entre os que tiraram a vida (15) dos outros torcedores. 

    Os paulistas também ganham holofote no topo dos dois rankings. Os torcedores do Corinthians ocupam a vice-liderança dos que mais morreram (17) e estão em terceiro entre os que mais mataram (18). O São Paulo, por sua vez, está na terceira posição entre as vítimas (17). Os palmeirenses estão em sétimo entre os que mais causaram mortes (13). 

    Fortaleza e Ceará são dois clubes que também são mal representados por suas torcidas nesses rankings. O Tricolor é o sexto entre as vítimas (14) e a quarta torcida que mais matou no país (15). Já os alvinegros estão em oitavo entre as vítimas (12) e na nona posição entre os que mais causaram as mortes (12).

    Por Terra

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.