• Últimas Notícias

    domingo, 22 de janeiro de 2017

    Rombo: Prefeita Alda Romão descobre dívida de R$ 1,5 milhão deixada por Sione Oliveira na prefeitura de São José do Campestre

    A prefeita do município de São José do Campestre, professora Alda Romão, esteve recentemente na receita federal, para tomar conhecimento dos motivos pelos quais, a cota do FPM do dia 10 de janeiro, ficou “zerada”. A receita federal informou que a gestão da ex-prefeita Sione Oliveira “sonegou” contas de junho a dezembro de 2016, a importância de RS 403.701,36, deixou debito em cobrança de R$ 628.288,10, não pagou o INSS patronal referente à folha de pagamento dos servidores, do mês de dezembro e do 13º, valor estimado de R$ 500.000,00. Como também, não pagou o PASEP, referente aos meses de novembro e dezembro, podendo o município, ter o FPM bloqueado pela falta de pagamento do PASEP. 

    O mais grave é que, a ex-prefeita Sione Oliveira, não fechou a contabilidade do ano de 2016, sem essas informações contábeis, a nova administração tem dificuldades para resolver essas pendências junto à receita federal. Toda essa divida deixada junto à receita federal, totaliza a importância de R$ 1.531.670,87.

    Em dezembro passado, a prefeita Alda Romão, tinha nomeado uma comissão de transição de governo municipal, para ter acesso às informações contábeis e financeiras do município. A comissão de transição, não obteve as informações necessárias da administração da ex-prefeita Sione Oliveira, conforme relatório conclusivo apresentado pelo coordenador da comissão, Dr. Otacílio Cassiano do Nascimento Neto. Diante desse fato, a nova administração, vem tendo algumas surpresas desagradáveis, dentre elas, a 1ª cota do FPM, do último dia 10 de janeiro que foi “zerada”, e que ainda existe a possibilidade da 1ª cota de fevereiro vim "zerada", caso a atual administração não consiga quitar essa pendencia deixada pela gestão anterior.

    Infelizmente a ex-prefeita, Sione Oliveira, faltou com a verdade ao usar uma emissora de rádio comunitária para dizer a população campestrense que deixou mais de 700 mil reais nas contas do município. Toda essa irresponsabilidade poderá penalizar os servidores municipais, comprometendo pagamentos da folha de pessoal e um terço de férias dos profissionais do FUNDEB. O procurador geral do município, Dr. Otacílio Neto, está tomando as medidas legais cabíveis para o caso.

    6 comentários:

    1. Essa divida é só na receita federal, falta de pagamento de INSS e do PASEP. e quando chegar as contas da COSERN, CAERN e outras?

      ResponderExcluir
    2. A prefeita Alda Romão, tem que urgentemente, denunciar essa irresponsável com o dinheiro do povo de campestre, na justiça!

      ResponderExcluir
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      ResponderExcluir
    4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      ResponderExcluir
    5. mal assumiram! já estão buscando Desculpas para não pagarem os funcionários. Começou cêdo!!!

      ResponderExcluir
    6. Claro q o rombo seria grande tava oferecendo 1.000 reais por votos

      ResponderExcluir

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.