• Últimas Notícias

    segunda-feira, 26 de setembro de 2016

    Mais um: Ex-ministro de Lula e Dilma, Antonio Palocci é preso em nova fase da Operação Lava Jato

    Resultado de imagem para palocci preso pela PFO ex-ministro Antonio Palocci (PT) foi preso em São Paulo nesta segunda-feira (26) durante a 35ª fase da Operação Lava Jato, batizada de "Omertà". Segundo a Polícia Federal (PF), ele "atuou de forma direta para propiciar vantagens" para a empreiteira Odebrecht quando estava no governo federal.

    Palocci foi ministro da Fazenda (2003-06) do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da Casa Civil (2011) do governo Dilma Rousseff. Ele será levado para Curitiba, onde estão concentradas as investigações da Lava Jato.
    De acordo com a PF, o ex-ministro e "personagens de seu grupo político" foram beneficiados com vultosos valores ilícitos.
    Para a PF, foram identificadas negociações quando Palocci era ministro que acabaram por beneficiar a empreiteira. "Foi possível delinear as tratativas entre o Grupo Odebrecht e o ex-ministro para a tentativa de aprovação do projeto de lei de conversão da MP 460/2009 (que resultaria em imensos benefícios fiscais), aumento da linha de crédito junto ao BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social] para país africano --com a qual a empresa tinha relações comerciais--, além de interferência no procedimento licitatório da Petrobras para aquisição de 21 navios sonda para exploração da camada pré-sal".
    UOL Notícias

    Violência: Guardas municipais resgatam criança vítima de espancamento e prendem as duas acusadas pelo crime em Natal

    Suspeitas do crime foram detidas no bairro Jardim Progresso, na zona Norte
    Agentes da Ronda Ostensiva da Guarda Municipal do Natal (Romu/GMN) detiveram na noite do sábado (24), duas mulheres acusadas de tortura e maus tratos contra uma crianças de 3 anos, no bairro Jardim Progresso, zona Norte da capital. As mulheres identificadas como Maria Eduarda da Silva e Maria Andreline de Pontes mantêm um relacionamento afetivo e a criança é filha de uma delas.

    De acordo com o guarda municipal Arthur Faustino, a guarnição da GMN foi acionada pelo Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) que informou sobre uma denúncia de espancamento de uma criança. Ao chegar ao local indicado os guardas municipais confirmaram as agressões, já que a vítima apresentava diversas marcas do espancamento pelo corpo. “Foi preciso levar a criança para o atendimento médico de imediato na Unidade de Pronto Atendimento do Potengi porque apresentava hemorragia devido às agressões sofridas”, informou.

    O agente da GMN contou ainda que populares se revoltaram ao visualizou a situação da criança e tentaram agredir as duas acusadas pelo espancamento, porém os guardas municipais evitaram o que poderia ser o início de um linchamento. “Contornamos a crise e conseguimos prender as suspeitas e preservar a integridade física das mesmas como determina a legislação”, concluiu o GM.

    As acusadas foram presas e conduzidas a Delegacia de Plantão Zona Norte onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante delito. As duas ficaram a disposição da justiça e vão responder pelo crime de tortura e maus tratos. Já a criança vai ficar inicialmente abrigada em estrutura protetiva do Estado até a definição de guarda determinada pela justiça.

    *Com informações: Assecom GMN.