• Últimas Notícias

    segunda-feira, 13 de junho de 2016

    Informe Publicitário: Deseja transferir suas fitas de vídeo k-7 antigas para DVD


    A partir do dia 30, lâmpadas incandescentes não serão mais vendidas no Brasil

    As lâmpadas incandescentes não vão mais ser vendidas no Brasil a partir do dia 30 de junho. Os estabelecimentos, importadores e fabricantes serão fiscalizados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), e quem não atender à legislação poderá ser multado.

    A restrição foi estabelecida em uma portaria interministerial de 2010, que tem como objetivo minimizar o desperdício no consumo de energia elétrica. Uma lâmpada fluorescente compacta economiza 75% em comparação a uma lâmpada incandescente de luminosidade equivalente. Se a opção for por uma lâmpada de LED, essa economia sobe para 85%.


    Em delação, Léo Pinheiro diz que campanha de Marina Silva teve caixa dois

    Na negociação da delação premiada de Léo Pinheiro, há uma revelação destinada a fazer muito barulho. Atinge duas figuras que têm suas imagens ligadas umbilicalmente às questões da ética e da sustentabilidade — uma, na política; a outra, no meio empresarial.

    O ex-presidente da OAS se comprometeu com os procuradores a falar do caixa dois que, segundo ele, irrigou a campanha de Marina Silva à Presidência em 2010.

    O pedido a Pinheiro foi feito por Guilherme Leal, um dos donos da Natura, candidato a vice-presidente de Marina naquela eleição. Alfredo Sirkis, ainda de acordo com a delação do ex-presidente da OAS, acompanhava Leal quando a negociação foi fechada.

    Oficialmente, ou seja, no caixa um, o TSE não tem registro de qualquer doação da empresa baiana para a campanha de Marina. Léo Pinheiro também afirma em sua delação que passou recursos para o caixa dois das campanhas de Eduardo Paes. Executivos da Odebrecht também negociam afirmar isso em delação.

    Marina Silva e Paes negam que suas campanhas tenham recebido qualquer recurso ilícito. Por O Globo

    IBGE divulgou novo edital do concurso que oferece 7.500 vagas em todo Brasil

    Resultado de imagem para IBGE divulgou novo edital do concursoO Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o edital de seu concurso para agentes de pesquisas e mapeamento, com 7.500 vagas temporárias. O posto exige apenas o ensino médio e garante retribuição mensal de R$ 1.250, além de auxílio-alimentação e auxílio-transporte. A jornada de trabalho para os aprovados será de 40 horas semanais.
    As inscrições na seleção ocorrerão entre o dia 21 de maio e 19 de junho, pelo site da Cesgranrio. Os interessados deverão pagar uma taxa de R$ 30 ou pedir isenção, conforme as regras dispostas no edital do processo simplificado.
    Todos os candidatos passarão por um prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, constituída de 60 questões. Serão cobrados conteúdos de Língua Portuguesa (25), Geografia (20) e Raciocínio Lógico (15). A avaliação será aplicada no dia 4 de setembro.

    O resultado final está previsto para ser divulgado no dia 3 de outubro. Os contratos de trabalho firmados terão duração de um ano, podendo ser prorrogados por mais dois.

    Com informações do jornal Diário do Povo

    Inscrições para o I Encontro Estadual sobre Aposentadoria encerram hoje (13)

    A Secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humanos (Searh), por meio da Escola de Governo Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales (EGRN), realizará no dia 14 de junho o “I Encontro sobre Aposentadoria: Ressignificando Caminhos”.

    O evento acontecerá no miniauditório da EGRN das 8h às 12h. As inscrições para o evento estão abertas até esta segunda-feira (13) no site www.escoladegoverno.rn.gov.br.

    O encontro tem como público-alvo, servidores próximos ao período de afastamento das atividades laborais e os aposentados, visando proporcionar um momento de inteiração, troca de ideias e experiências.

    Futebol: Brasil perde para o Peru e é eliminado da Copa América Centenário

    Jogadores brasileiros reclamaram bastante da arbitragem do uruguaio Andres Cunha (Foto: Timothy A.Clary/AFP)
     (Foto: Timothy A.Clary/AFP)
    O Brasil está eliminado da Copa América Centenário. Na partida mais polêmica até o momento da competição, a Seleção Brasileira foi prejudicada pela arbitragem do uruguaio Andres Cunha, que validou o gol de mão do Peru aos 30 minutos do segundo tempo, em duelo realizado na noite deste domingo, em Boston, nos Estados Unidos.

    Além deste erro, o juiz deixou de dar um pênalti para o Peru no começo da etapa final. Os brasileiros também reclamaram muito de pelo menos três penalidades, mas todas duvidosas.

    No fim, o confronto terminou 1 a 0 para os peruanos, classificados às quartas de final do torneio após somarem sete pontos, três a mais que os brasileiros. A equipe do técnico argentino Ricardo Gareca enfrentará a Colômbia na próxima fase. O outro classificado do Grupo B é o Equador, que mais cedo goleou o Haiti por 4 a 0, em Seattle, garantiu um lugar entre os oito melhores da competição com cinco pontos e fará duelo com os Estados Unidos na briga por uma vaga nas semis.

    Esta é a primeira vez que o time canarinho não alcança a fase de mata-mata da Copa América desde 1987, quando o torneio foi disputado na Argentina. (Com informações Gazeta Esportiva)

    Terrorismo: Mentor de grupo que cometeu atentados na Espanha vive no Brasil

    O presidente da Frente de la Juventud, José de las Heras (primeiro à direita), ao lado de Blas Piñar, ex-líder da Fuerza Nueva. A fotografia foi feita em um evento organizado pela Fuerza Nueva em Paracuellos del Jarama (Madri).Um espanhol apontado como mentor de um grupo de extrema direita que realizou atentados sangrentos no fim dos anos 1970 vive no Brasil, para onde fugiu quando seria processado por assassinato, assinala neste domingo o jornal "El País", que o localizou e entrevistou.

    "Sim. São os primeiros a chegar. Como me localizaram?", perguntou José de las Heras Hurtado, 72, ao confirmar sua identidade ao jornal, em um modesto restaurante que administra no Guarujá, em São Paulo, onde vive.

    Deixando para trás a mulher e dois filhos, o advogado fugiu da Espanha em 1984, quando começava seu julgamento por assassinato, pelo atentado contra um bar de Madri, em 1979, que deixou um morto e uma dezena de feridos na época da transição para a democracia.

    O bar El Parnasillo, em Madri, depois do atentado de 1979.Autoridades o apontavam como líder do grupo Frente da Juventude, ao qual são atribuídos este e outros atentados, que, no total, causaram três mortes. Apesar de ter sido detido em 1981 com outros membros da organização, De Las Heras afirmou ao jornal que não conheceu as pessoas que cometeram os atos violentos, e que deixou a Espanha porque não teria um julgamento justo.

    "Quando cheguei ao Brasil, às 10h30, começava na Espanha meu julgamento. Dei gargalhadas. Eu estava no Rio de Janeiro! Ser condenado a 20 anos de cadeia? Passar 20 ou 25 anos da minha vida em uma prisão? Não, sob nenhuma hipótese. Eu amo a liberdade", disse.

    "Parti porque me disseram: seu caso está prejulgado, certamento irão condená-lo. Nunca me arrependi de minha decisão", assinalou.
    Graças aos laços criados com a direita latino-americana, De Las Heras chegou ao Brasil com cartas de recomendação para viver no Chile ou Paraguai, regidos por ditaduras de direita, mas optou pelo Brasil, onde começou uma vida nova como cozinheiro em um hotel.

    Apesar de as três ordens de captura internacionais da Justiça espanhola contra ele já terem prescrito, a última em 2013, De Las Heras afirma que não pensa em deixar o Brasil, onde vive com a nova mulher, uma brasileira.
    "Estou morando em uma favela, mas os vizinhos me apreciam e me respeitam", diz.

    Por Zero Hora