• Últimas Notícias

    domingo, 25 de dezembro de 2016

    Homem mais rico do Brasil, dono da Ambev ganha R$ 2,26 milhões por hora

    Resultado de imagem para Jorge paulo Lemann, de 76 anos
    Homem mais rico do Brasil pelo quarto ano consecutivo, Jorge paulo Lemann, de 76 anos, é também um dos que mais ganhou dinheiro no mundo no último ano. De acordo com a revista Forbes Brasil, o patrimônio de Lemann cresceu 23,76% e passou de R$ 83,7 bilhões, em 2015, para R$ 103,59 bilhões em 2016, um salto de R$ 19,89 bilhões. Ainda de acordo com a revista, ele é o primeiro brasileiro a bater a marca de R$ 100 bilhões.

    Ex-jogador profissional de tênis, Jorge Paulo Lemann é sócio da empresa de investimentos 3G Capital Partners, que possui marcas como Budweiser, Burger King e Heinz. No Brasil, a participação de Lemann é na Ambev, fabricante de cervejas como Skol, Antartica e Brahma.

    Ainda de acordo com a Forbes Brasil, o patrimônio do empresário equivale a um faturamento de R$ 54,34 milhões por dia, ou R$ 2,26 milhões por hora em um ano, considerando um dia a mais no mês de fevereiro. O cálculo foi feito de acordo com a variação do patrimônio no período de 12 meses anteriores a 15 de julho de 2016. 

    A maior parte da fortuna do brasileiro vem da participação no maior grupo cervejeiro do mundo, o AB Inbev. Em outubro do ano passado, a empresa anunciou a compra da rival e vice-líder no mercado de cervejas, SABMiller, por mais de 100 bilhões de dólares. A conclusão ainda depende da aprovação de órgão de concorrência pelo mundo.

    Correio 24 Horas

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.