• Últimas Notícias

    segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

    A terra treme 17 vezes durante a madrugada em João Câmara


    Resultado de imagem para a terra treme em joão camara
    A cidade de João Câmara, no Agresta potiguar, registrou 17 tremores de terra na madrugada desta segunda-feira (12).  De acordo com o técnico do Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e professor do Departamento de Geofísica, Eduardo Menezes, os tremores ocorreram entre 00h e 6h, o maior atingiu magnitude de 2,1 na escala Richter.


    Eduardo Menezes diz que a magnitude de 2,1 é de pequena intensidade e quase não é sentido por moradores das regiões afetadas. Na maioria das vezes não provoca desastres, apenas balanço de telhas, portas e pequenas fissuras dependendo da estrutura de cada construção. "Como faz tempo que a cidade não sentia um tremor, o fato chama atenção, A cidade está assustada", comenta Eduardo.


    O epicentro do novo tremor ocorreu na mesma área, que está localizada na parte norte da falha sísmica de samambaia. O professor ainda lembrou que os tremores de terra são comuns na região de João Câmara. "É muito comum, mas é imprevisível, não tem como saber quando será o próximo", explica.

    Áreas sísmicas ativas
    De acordo com o Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN), a borda da Bacia Potiguar (Rio Grande do Norte e leste do Ceará), é uma das áreas sísmicas mais ativas do Nordeste do Brasil.

    Por G1/RN
    Resultado de imagem para jk studio e cartuchos

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.