quinta-feira, 27 de outubro de 2016

MPRN integra comissão dos Poderes que vai definir soluções para crise econômica


O procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis Lima, participou de reunião nesta ontem, quarta-feira (26) com representantes dos Poderes estaduais para discutir a crise econômico-financeira atravessada pelo Rio Grande do Norte.

No encontro, ficou definido a formação de uma comissão composta por representantes dos Poderes estaduais que vai estabelecer quais são as medidas de redução de gastos e gestão da crise. O PGJ ressaltou que o trabalho será feito pela comissão na qual o MPRN vai indicar seu representante assim como os demais Poderes.


A reunião foi organizada pelo governador Robinson Faria e contou com a presença do vice-governador Fábio Dantas; presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Cláudio Santos; presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira; conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Gilberto Jales.O chefe do Executivo estadual frisou a participação dos Poderes e a busca comum para que o Rio Grande do Norte saia deste momento difícil em suas finanças.

Acompanhando o PGJ, estiveram o procurador-geral de Justiça adjunto, Jovino Pereira Sobrinho, e o chefe de gabinete, Alexandre Frazão. Também participaram da reunião secretários de Estado e representantes do Tribunal de Justiça e Assembleia Legislativa. No âmbito do MPRN, a Instituição já tomou algumas medidas para a questão da frustração de receita estadual e dentro disso se acredita que deverá retornar ao limite nos próximos meses. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.