• Últimas Notícias

    segunda-feira, 19 de setembro de 2016

    Ministra Rosa Weber nega mais duas ações contra fatiamento do impeachment

    A Ministra Rosa Maria Weber (Foto:  Ailton de Freitas / Agência O Globo)
    A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou mais duas ações que questionavam o fatiamento do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Com isso, ela continua autorizada a ocupar outros cargos na administração pública. A íntegra das decisões não foi divulgada ainda pelo STF. Nos dias 8 e 9 de setembro, Rosa Weber já tinha negado outras 12 ações que pediam a mesma coisa.

    Das duas últimas ações negadas pela ministra, uma foi protocolada em 12 de setembro por Nilton Masi Caccáos Junior e Raphael Antonio Garrigoz Panichi, integrantes do Conselho do Movimento Avança Brasil Maçons.BR. A outra foi apresentada em 14 de setembro pelo senador Magno Malta (PR-ES). No primeiro caso, a ministra não deu seguimento à ação. No segundo, negou o pedido de liminar, não havendo prazo para o julgamento definitivo da causa.

    Em 31 de agosto, o Senado separou a votação do impeachment em duas. Na primeira, cassou o mandato de Dilma, mas na segunda, a ex-presidente saiu vitoriosa e manteve o direito de ocupar outros cargos na administração pública e disputar novas eleições. O fatiamento teve aval do ministro Ricardo Lewandowski que, na época, era presidente do STF e do julgamento do impeachment.

    André de Souza, O Globo

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.