Ultimas Noticias

sexta-feira, 15 de julho de 2016

PF cumpre mandados e apura lavagem de dinheiro em Parnamirim

PF deflagrou operação nesta sexta (15) em Natal e São Paulo (Foto: Dovulgação/PF)A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (15/7), na Região Metropolitana de Natal, a Operação Pequeno Rio* destinada a apurar atos de corrupção e lavagem de dinheiro, atribuídos a um ex-secretário de Parnamirim/RN. Além disso, objetiva reunir provas de corrupção ativa, relacionadas a contratos diversos celebrados entre empresas e aquele município. 

Na ação, a PF mobilizou 65 policiais e está cumprindo 13 mandados judiciais de busca e apreensão, em Natal e São Paulo/SP. 

A investigação teve início com a notícia de que o então secretário apresentava um patrimônio expressivo e incompatível com os seus rendimentos. Como a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público daquela cidade já tinha procedimento investigativo sobre o caso, a Polícia Federal obteve o compartilhamento de dados com o Ministério Público do RN. 

A PF reuniu indícios de corrupção passiva do investigado, supostamente praticada no interesse de uma empresa contratada pelo município de Parnamirim, a partir de repasses de recursos federais. A apuração preliminar veio confirmar as suspeitas, tendo ainda sido constatado que parte dos bens do ex-secretário estaria em nome de terceiros. 

Com a instauração do inquérito policial, ao longo da investigação, surgiram evidências de que o investigado, com certa regularidade, também recebia vantagem indevida de outras fontes. 

Haverá coletiva de imprensa, hoje, na Superintendência Regional da PF, em Natal, às 10h. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.