Ultimas Noticias

sábado, 18 de junho de 2016

Terrorismo: Estado Islâmico cria canal em português em aplicativo de celular

Terrorismo preocupa Olimpíada do Rio
A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) confirmou nesse final de semana a criação de um grupo de troca de mensagens em português, no aplicativo de mensagens instantâneas Telegram, por pessoas ligadas ao Estado Islâmico. Em nota, o órgão afirmou que o grupo, nomeado Nashir Português e voltado à divulgação de doutrinação extremista, “amplia a complexidade do trabalho de enfrentamento ao terrorismo e representa facilidade adicional à radicalização de cidadãos brasileiros”.

O objetivo do grupo é arregimentar brasileiros para a causa jihadista. As mensagens têm um discurso de Abu Muhammad al-Adnani, porta-voz do Estado Islâmico, de acordo com informações de uma fonte da área de segurança. Os integrantes do grupo já estariam sendo monitorados pela Abin.

A agência americana de monitoramento de terrorismo SITE Intelligence Group afirma que o grupo Nashir Português foi criado em 29 de maio, por meio de anúncios nas redes sociais de que estaria à procura de simpatizantes que falassem português, para a tradução de seu material de propaganda.


Durante uma reunião sobre a segurança na Olimpíada do Rio, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, disse que o assunto não foi discutido com representantes do Ministério da Defesa e com o superintendente-geral da Abin, Frank Oliveira. Na mesma reunião, foi decidido que 15 mil integrantes das Forças Armadas vão reforçar a segurança em vias expressas, terminais rodoviários, aeroportos e no bairro de Deodoro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.