Ultimas Noticias

domingo, 8 de maio de 2016

Remédio promete curar a depressão em poucas horas

Um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland (nos Estados Unidos) publicado na Nature indica que a cetamina – mais concretamente um metabolito da sua degradação chamado de hidroxinorketamina – pode ser a solução mais eficaz para travar a depressão.

Trata-se de um anestésico que é capaz de reverter a depressão em poucas horas, algo extremamente positivo uma vez que alguns tipos de depressão acompanham durante anos a fio e condicionam a vida de milhares de pessoas em todo o mundo.


Mas, o que é que este estudo tem de diferente de tantos outros que colocaram a cetamina no centro das atenções?

A ausência de efeitos secundários. Até hoje, conta a ABC.es, este anestésico foi sempre associado à cura quase espontânea da depressão, contudo, os efeitos secundários mostraram-se tão graves que a produção do remédio para esse fim nunca avançou. Agora, sabe-se que a hidroxinorketamina (o dito metabolito da degradação da cetamina) não só reverte a depressão em poucas horas como não apresenta quaisquer efeitos secundários, sejam graves ou não.

Em 2006, o mesmo grupo de cientistas fez as primeiras experiências e notou quem bastavam 110 minutos para que os sintomas de depressão caíssem em 50%.


experiência final foi feita com sucesso em ratos de laboratório e os cientistas norte-americanos mostram-se confiantes no uso em humanos, diz o estudo.

Com informações Nature.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.