• Últimas Notícias

    quinta-feira, 21 de abril de 2016

    Empresa cria colchão com sistema que 'detecta traição'

    Internet das Coisas já é uma realidade e está cada vez mais claro que, como o próprio nome sugere, ela veio para revolucionar o modo como as pessoas se relacionam como os objetos.
    Uma empresa, no entanto, foi um pouco além ao criar uma solução tecnológica para um problema muito mais antigo que as casas conectadas: o ciúme.
    Smarttress é uma espécie de "colchão espião" que promete avisar sobre qualquer "atividade suspeita" na cama quando o usuário estiver fora.
    O objeto é equipado com sensores que funcionam em integração com um aplicativo no smartphone, enviando os alertas assim que as peças detectam algum movimento. Até um mapa com projeção em 3D dos pontos que estão sendo pressionados naquele momento é gerado pelo aplicativo.
    Essa matéria continua

    Parece o limite da desconfiança, mas é exatamente essa a proposta do produto, como a empresa espanhola Durmet, responsável pela criação, deixa claro com o slogan: "Se o seu parceiro não é fiel, pelo menos o seu colchão é".
    A ideia surgiu de uma pesquisa que constatou um fato curioso: os espanhóis são os mais infiéis de toda Europa. A partir daí, a marca começou a pensar no desenvolvimento de um produto com o "sistema de detecção de amantes".
    Os ciumentos de plantão que se interessaram pela ideia podem adquirir o colchão pela "bagatela" de US$ 1,750 (algo em torno de R$ 6,2 mil).

    Exame.com 

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.