• Últimas Notícias

    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

    Policial usa táxi para perseguir e prender assaltantes em Mossoró

    IMG-20160225-WA0033_resizedUm fato inusitado marcou o setor policial na manhã desta quinta-feira em Mossoró. O registro de um assalto a uma clínica no bairro Santo Antônio resultou numa perseguição tendo como protagonista um policial, que diante da urgência do caso, utilizou um táxi como forma de alcançar os assaltantes.
    O caso ocorreu no fim da manhã quando uma médica foi abordada ao sair de uma clínica. Os assaltantes levaram seu aparelho celular e um cordão de ouro. Segundos após a ação, a médica acionou um policial, identificado como Soldado Willians, que atuava numa ocorrência de trânsito a poucos metros do local do assalto.
    Diante da informação, o policial parou um táxi que passava no local, retirou os passageiros, e iniciou a perseguição. O caso foi narrado num áudio feito pelo próprio policial que detalha a ação.

    “Foi cena de filme. Eu estava fazendo uma perícia de um acidente de trânsito em frente ao Postão do Santo Antônio quando fui informado que estava ocorrendo um assalto na clínica Alexandre Diógenes. Como a viatura estava distante, e o assalto estava em andamento, parei um táxi. Parei, mandei todo mundo descer, e consegui pegar um deles ao lado da clínica e o outro ao lado da praça do Diocesano”, destaca o policial.
    Com os assaltantes rendidos foi solicitado apoio para deslocar os assaltantes até a Delegacia Especializada de Furtos e Roubos onde foi encaminhado o flagrante. (O Mossoroense)

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.