Ultimas Noticias

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Estamos chegando ao fundo do poço: Agência rebaixa nota e tira grau de investimento do Brasil

Como já era esperado, a agência de classificação de risco Moody’s rebaixou a nota do Brasil e tirou o grau de investimento, selo de bom pagador, do País nesta quarta-feira, 24.

A nota do país caiu dois degraus de uma vez: passou de Baa3, o último nível dentro do grau de investimento, para Ba2, que é categoria de especulação. A agência também colocou o Brasil em perspectiva negativa, indicando que pode sofrer novo rebaixamento.


Em nota, a Moody's afirma que o corte da nota foi influenciado pela maior deterioração das métricas de crédito do Brasil, em um ambiente de baixo crescimento, com expectativa de que a dívida do governo ultrapasse 80% do Produto Interno Bruto (PIB) nos próximos três anos. A agência também aponta a "dinâmica política desafiadora" vai continuar a complicar os esforços de consolidação fiscal e atrasar as reformas estruturais.


A primeira a tirar o selo de bom pagador do Brasil foi a Standar and Poor’s, em setembro do ano passado. Em dezembro, foi a vez da Fitch, que ao mesmo tempo colocou a nota do país em perspectiva negativa, indicando que ela pode voltar a ser rebaixada.

Um comentário:

  1. DJ PERES DE PIRASSUNUNGA24 de fevereiro de 2016 18:17

    Na minha modesta opinião é apenas o começo da crise ainda. O bicho vai pegar. Particularmente pra mim o que eu entendo como governo. O próprio governo o senado a camara e o legislativo. Também acho que muita gente entende assim. Pena que os que estão lá não vejam assim.

    ResponderExcluir

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.