• Últimas Notícias

    segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

    Campanha do ex-presidente Lula recebeu propina de Angola, afirma Nestor Cerveró

    lula-eduardo-angolaA campanha de reeleição do então presidente Luiz Inácio da Silva, em 2006, teria recebido propina de até R$ 50 milhões, disse o ex-diretor de Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró. O valor teria se originado de uma negociação para a compra de US$ 300 milhões em blocos de petróleo na África, em 2005. As informações foram publicadas pelo jornal Valor Econômico nesta segunda-feira.

    Cerveró repassou a denúncia a investigadores da Operação Lava-Jato antes de fechar acordo de delação premiada, assinado em novembro de 2015. O ex-executivo afirmou que soube das informações por Manuel Domingos Vicente, ex-presidente do conselho de administração da estatal petrolífera angolana (Sonangol) e atual vice-presidente do país.

    "Manoel (sic) foi explícito em afirmar que desses US$ 300 milhões pagos pela Petrobras a Sonangol, companhia estatal de petróleo de Angola, retornaram ao Brasil como propina para financiamento da campanha presidencial do PT valores entre R$ 40 milhões e R$ 50 milhões", diz um anexo elaborado pelos advogados de Cerveró e obtido pelo jornal.

    O ex-diretor informou que a negociação teria sido conduzido "pelos altos escalões do governo brasileiro e angolano" e que o representante brasileiro era o então ministro da Fazenda, Antonio Palocci. Porém, Cerveró não detalha no documento como se deu a negociação e nem por meio de qual operação financeira os recursos teriam regressado ao Brasil para abastecer o suposto caixa dois da campanha de Lula.
    Por Valor econômico

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.