• Últimas Notícias

    sexta-feira, 18 de setembro de 2015

    Governo estuda legalizar jogos de azar para elevar arrecadação

    Na tentativa de arrecadar mais, o governo estuda alternativas para tentar reverter a crise econômica. Uma delas é a liberação dos jogos de azar no território brasileiro. 

    De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, líderes das bancadas governistas na Câmara foram consultados pelo governo nesta quinta-feira (17), durante reunião com a presidente Dilma Rousseff e ministros no Palácio do Planalto, sobre qual seria a receptividade em suas bancadas da legalização de bingos, cassinos e jogos pela internet para elevar o caixa nesse momento déficit nas contas públicas. 

    "Ela [Dilma] e os ministros pediram que a gente verificasse a receptividade da proposta, que foi sugerida na reunião dela com senadores ontem [quarta]. Perguntaram o que tinha de proposta e, dos líderes que falaram hoje, a maioria foi a favor", afirmou o deputado Maurício Quintela Lessa (AL), líder da bancada do PR, à Folha. 

    A exploração de jogos de azar era permitida no Brasil até 1946. Após decreto estabelecido pelo então presidente Eurico Gaspar Dutra, os jogos foram considerados ilegais e sua realização passível de prisão por três meses a um ano. 

    Pescador captura peixe gigante e bizarro no Japão

    Foto: Reprodução de Internet
    Um pescador ficou assustado ao capturar um peixe com aparência bizarra na costa da ilha Hokkaido, no Japão.

    Foto: Reprodução de InternetHirasaka Hiroshi disse que o peixe seria uma enguia lobo que se desenvolveu além do normal. O comum é que peixes da espécie tenham cerca de 112 cm de comprimento e 15 kg.


    O pescador publicou fotos do animal em sua página no Twitter. "Valeu a penar vir para Hokkaido duas vezes em apenas três meses. 

    Esse cara (o peixe gigante) é muito maneiro!", escreveu Hirasaka. (SRZD)

    Fim de doações de empresas vale para próxima eleição

    As campanhas políticas das eleições municipais do ano que vem não poderão contar com doações de empresas, de acordo com a decisão tomada nesta quinta-feira (17) pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski e o ministro Luiz Fux, relator da ação na qual a matéria foi discutida, nem mesmo a eventual sanção da lei aprovada na semana passada pela Câmara dos Deputados poderá liberar as contribuições para partidos e candidatos. 

    No dia 9 de setembro, a Câmara aprovou a minirreforma eleitoral e regulamentou as doações. O texto aguarda decisão da presidenta Dilma Rousseff, que pode sancioná-lo ou vetá-lo. Se a presidenta sancionar a lei, será preciso uma nova ação para questionar a validade das doações no Supremo, devido a posição contrária adotada pelo tribunal. Segundo Lewandowski, a decisão da Corte já está valendo hoje (17). 

    A partir da eleição do ano que vem, somente serão permitidas doações de pessoas físicas. Os partidos também continuarão a contar com recursos do Fundo Partidário, garantidos pela Constituição.

    Mórmons estocam alimentos para o 'fim do mundo': 28 de setembro

    Cena de 'Impacto Profundo': meteoro atinge a TerraA notícia de que "o mundo vai acabar" volta e meia aquece a internet. Desta vez a data é 28 de setembro.

    A crença é compartilhada por alguns segmentos dos mórmons de Utah (EUA). Nas últimas semanas, eles têm ido às compras em supermercados do estado a fim de estocar alimentos e outros bens e se preparar o "fim do mundo".

    "Há em sentimento de urgência, como se algo estivesse para acontecer. Muitas pessoas estão falando de setembro, como um colapso financeiro global", disse o representante comercial Ricardo Aranda, de acordo com reportagem do "Metro".

    O detonador do "fim dos tempos" tem variações: muitos acreditam que um asteroide cairá sobre a Terra, outros creem em uma explosão do acelerador de partículas (Large Hadron Collider - LHC), construído para tentar reproduzir o Big Bang. Os mais tradicionais defendem que a Terra chegará ao fim simplesmente pela fúria de Jesus.


    A Nasa (agência espacial americana) já se pronunciou: não há qualquer sinal de que um asteroide ou qualquer outro corpo celestial vai cair na Terra em 28 de setembro. *O Globo