• Últimas Notícias

    terça-feira, 14 de abril de 2015

    Investigado na Lava-Jato, Eduardo Cunha se recusa a depor na PF.

    Caso mantenha a decisão de não prestar depoimento, Cunha poderá ser interrogado ainda se, ao final do inquérito, o procurador-geral da República denunciá-lo ao STF | Rodolfo Stuckert/Câmara dos Deputados
    Rodolfo Stuckert/Câmara dos Deputados
    O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) se recusou a prestar depoimento a Polícia Federal para dar explicações sobre seu suposto envolvimento com a estrutura de corrupção na Petrobras. Eduardo Cunha foi intimado para depor no dia 30 de março. Na condição de parlamentar, ele teria a prerrogativa de escolher local e data do interrogatório. Mas nem assim ele aceitou o convite. O deputado é acusado de receber dinheiro para viabilizar um contrato de afretamento de navios entre a Samsung e a Petrobras.

    Cunha rejeitou o convite para depor com o argumento de que já se explicou sobre o assunto numa petição ao ministro Teori Zavascki, relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF). Na petição, Cunha nega qualquer vínculo com as fraudes na Petrobras e pede o fim das investigações contra ele. Para Reginaldo de Castro, advogado de Cunha, o presidente da Câmara já deu todas as explicações ao relator do caso e, portanto, não precisaria se repetir diante de um delegado da Polícia Federal. *Por Gazeta

    Italiano é preso suspeito de tráfico de drogas em Ponta Negra

    A Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc) prendeu em flagrante, nesta segunda-feira (13), o italiano Roberto Stellati, de 56 anos, suspeito da prática de tráfico de drogas, no bairro de Ponta Negra. 

    Uma denúncia anônima indicava que o homem usava o seu apartamento como ponto de venda de drogas. “A Polícia Civil foi até o local e encontrou o acusado com meio quilo de cocaína, R$ 986,00, uma balança de precisão, cadernos com anotações da venda ilegal e embalagens para acondicionar a droga”, detalhou o delegado Ulisses de Souza, titular da Denarc. 

    As investigações revelaram que o italiano era dono de uma empresa de construção chamada Alleanza e morava no Brasil desde 2007. *Por Portal BO