Ultimas Noticias

sábado, 5 de dezembro de 2015

Suspeito de degolar ex-namorada de 14 anos é encontrado morto em cadeia da grande Natal

Suspeito de matar a ex-namorada degolada em Ceará-Mirim, cidade da Grande Natal, Weberton Pereira Maciel, de 24 anos, foi encontrado morto na manhã desta sexta-feira (4) no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Parnamirim, unidade que também fica na região Metropolitana da capital potiguar. 

De acordo com a Coordenadoria de Administração Penitenciária (Coape), o detento foi encontrado pendurado pelo pescoço em uma das celas da unidade. A direção chamou o Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) para remover o corpo. Apenas a perícia vai poder confirmar se o caso se trata de um suicídio ou assassinato.
Weberton cumpria pena desde o dia 9 de novembro, quando foi preso pelo assassinato da ex-namorada dele, Kassia Fabíola Pereira, de 14 anos. O detento chegou a confessar o crime. No mesmo dia em que foi preso, ele tentou se matar com uma faca.
A morte de Weberton é a 29ª registrada no sistema prisional potiguar somente este ano. Deste total, 26 detentos foram assassinados a facadas ou encontrados enforcados, mortos em condições suspeitas. Outros dois morreram soterrados após o desabamento de um túnel na Penitenciária Estadual de Alcaçuz. E, no início do ano, um adolescente morreu ao ser baleado em uma unidade para cumprimento de medida socioeducativa durante uma tentativa de resgate no Ceduc de Caicó. Os números são da Coordenadoria de Análises Criminais da Secretaria Estadual de Segurança Pública. G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.