• Últimas Notícias

    quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

    Cerca de 90% das prefeituras do Brasil não poderão pagar salário mínimo, diz UBAM

    aumento salárioO novo salário mínimo de R$ 880 entra em vigor dia 1º de janeiro de 2016, mas irá deixar gestores municipais de todo o país em uma situação periclitante. 

    De acordo com o presidente da União Brasileira de Municípios (UBAM), Leonardo Santana, pelo menos 90% das prefeituras de todo país não terão condições de arcar com a nova despesa, de quase R$ 2,7 bilhões, sem que o governo promova a reforma do pacto federativo e aumente a participação dos municípios na distribuição dos tributos arrecadados.

    Segundo ele, o novo mínimo já se constitui em mais um desafio para as administrações públicas municipais, sobretudo em um momento tão delicado que o Brasil atravessa, registrando uma forte retração da economia, causando severa diminuição nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios.
    “O governo da União age como se os municípios não tivessem nenhuma importância no contexto federativo republicano, tomando medidas que vêm atingindo as administrações municipais durante esses últimos 20 anos, mantendo as cobranças indevidas e saques do INSS nas contas das prefeituras, aumentando as obrigações sociais com a municipalização e fazendo vista grossa para o caos financeiro que enfrentam menores entes federados”.

    Leonardo destacou que esse desafio atinge os municípios já fragilizados e torna difícil para os gestores manterem sequer o custeio da máquina administrativa, pagarem o piso nacional do magistério e, ainda por cima, administrarem o imenso problema da falta de água nos municípios que compõem Semi-Árido, que possui 1.134 municípios. *Por associados

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.