Ultimas Noticias

sábado, 21 de novembro de 2015

Petista no Conselho de Ética sugere atraso na cassação de Cunha para aprovar ajuste

Petista no Conselho de Ética sugere atraso na cassação de Cunha para aprovar ajuste
Foto Agência Câmara
O deputado Zé Geraldo (PT-PA) é um dos mais faltosos do partido no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados e não é à toa. Conforme disse a O Globo, o paraense sugere que o colegiado espere mais duas semanas no processo contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para que seja votado o ajuste fiscal proposto pelo governo federal. 

Geraldo afirmou que a orientação foi dada em reuniões de coordenação da bancada petista nas últimas semanas. Na análise de Geraldo, há matérias econômicas importantes que devem ser votadas, como a Desvinculação de Receitas da União (DRU) e a recriação da CPMF por meio de emenda à Constituição. Esse ponto de vista pode ser revertido em mais uma avaliação negativa do partido, mas Geraldo diz que não tem medo.

 "O PT apanha de qualquer jeito, se faz coisa errada ou se acerta. Uma porrada a mais não vai fazer diferença", disse. Apesar de as faltas às reuniões da comissão serem propositais e por orientação do partido, o parlamentar garante que não há direcionamento do PT ou do governo sobre o voto dos parlamentares que integram o Conselho de Ética. (*Por BNotícias)

"A não ser que mude alguma coisa, a gente vai votar pela admissibilidade. Quanto a isso, não teve nenhum pedido. Mas deve ser só daqui a duas semanas, só em dezembro. Para o governo, quanto mais tempo, melhor", disse. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.