Ultimas Noticias

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Esposa mata marido com uma facada na garganta

O pedreiro Antônio Alves de Oliveira, 41 anos, foi morto dentro de casa com uma facada na garganta na madrugada desta quinta-feira, 12. A acusada é a própria esposa da vítima que foi detida pela polícia.

Antônio Alves era natural de Caraúbas e residia na Rua Patrícia Vieira de Lima, em um Loteamento próximo ao Abolição IV. Segundo informações ela sofre problemas psiquiátricos e teria praticado o crime logo após uma confusão nesta madrugada.

A mulher disse a polícia que Antônio era usuário de droga e com frequência o casal se envolvia em confusão. Depois de mais uma briga, ele teria tentado matá-la, com um pedaço de madeira. Ela reagiu e acertou o marido com uma cutilada de faca peixeira na região do pescoço. 
O Perito Criminal, Joaquim Guimarães, encontrou pedaços de madeira espalhados no meio da residência, que pode ter sido quebrado durante a briga do casal. 

Quando aos militares de uma Viatura de Rádio Patrulha chegaram ao local encontrou na roupa da mulher a faca usada no crime. A acusada apresentava hematomas pelo corpo que ele disse ter sido provocado durante a briga do casal. 

Antônio Alves ainda tentou procurar socorro, mas caiu morto quando tentava sair pela porta dos fundos da casa onde o casal morava há pouco mais de 02 anos. 

A família da acusada apresentou a polícia um documento comprovando que ela sofre com problemas psiquiátricos. Ela foi conduzida a Delegacia de Plantão para os esclarecimentos.



Com informações do O Câmera

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.