Ultimas Noticias

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Corregedoria do MPF realiza correição ordinária em todas as unidades do RN

O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) recebe, no período de 16 a 20 de novembro, uma comissão de correição ordinária em todas as unidades do órgão no Estado. O objetivo é avaliar a regularidade do serviço, a eficiência e pontualidade dos membros no exercício das funções e o cumprimento das obrigações legais, identificando dificuldades e necessidades das Procuradorias em Natal, Assu, Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros.
Durante a realização dos trabalhos será reservado um período para atendimento ao público. O cidadão que queira fazer críticas, elogios, denúncias ou sugestões para melhor funcionamento das unidades do MPF poderá se dirigir aos locais de atendimento nos dias e horários definidos para cada região (Ver lista abaixo). A ideia é abrir um canal de diálogo com toda a sociedade. Para o atendimento de pessoa física, é necessária apresentação de RG, CPF e comprovante de residência. Já os representantes de pessoa jurídica devem levar a cópia do ato constitutivo e de documento que comprove legitimidade.
Após o período de correição, as demandas são encaminhadas aos órgãos superiores do MPF, no intuito de aprimorar os serviços prestados à sociedade. A equipe responsável pela correição é composta pelo Corregedor-geral do MPF, subprocurador-geral da República, Hindemburgo Chateaubriand Filho, e pelos procuradores regionais da República em Pernambuco Fernando José Araújo Ferreira, Francisco Machado Teixeira e Uairandyr Tenório de Oliveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.