• Últimas Notícias

    quinta-feira, 30 de outubro de 2014

    PF cumpre mandados em empresa de inglês ex-presidente de clube no RN

    mandados de busca e apreensão na empresa EcoHouse (Foto: Henrique Dovalle/G1)
    A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (30) a Operação Godfather visando apurar crimes de lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, crimes tributários e formação de quadrilha atribuído a uma empresa do ramo imobiliário que patrocinava uma agremiação futebolística em Natal e outra na Itália.

    As investigações tiveram início em agosto deste ano após informações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) de que havia um esquema de lavagem de dinheiro através do qual uma suposta quadrilha com sede na capital potiguar captava  recursos de particulares no exterior com promessa de ganhos na ordem de 12% a 20% ao ano, sendo que o investimento nunca era devolvido.
    A PF apurou que somente no mercado de Cingapura foram lesados pelo grupo cerca de 2 mil investidores, sendo que cada cota vendida naquele país equivalia a 46 mil dólares. No Rio Grande do Norte, estão sendo cumpridos 9 mandados de buscas, sendo 8 na capital e 1 na praia de Pipa, no município de Tibau do Sul, além de 1, na cidade de Fortaleza, no Ceará.


    Nesta operação, a PF utilizou 50 policiais e contou ainda com a participação de 12 fiscais da Receita Federal. O nome “Godfather” é uma alusão ao principal investigado e presidente do grupo que foi apelidado pela imprensa potiguar de “O Poderoso Chefão”. G1

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.