• Últimas Notícias

    sábado, 5 de janeiro de 2013

    Sem linhas de transmissão RN perde parque eólico

    Problemas envolvendo o sistema de transmissão de energia no Rio Grande do Norte fizeram a Bioenergy – uma das quatro maiores geradoras de energia eólica do país – pedir a transferência de um dos quatro parques em instalação no RN para o Maranhão. O pedido de transferência foi feito à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Segundo Sérgio Marques, presidente da Bioenergy, que conta com dois parques eólicos em operação no RN – o Miassaba 2 e Aratuá 1 – a sobrecarga da subestação suspendeu a operação dos dois parques 36 vezes em 2012. A interrupção forçada do fornecimento, que somou 68 horas e 14 minutos, lhe rendeu um prejuízo estimado em R$ 227,6 mil. Valor que poderia ser bem maior, caso os outros quatro parques já estivessem em operação.
    Sérgio afirma que se os problemas envolvendo o sistema de transmissão no RN não forem resolvidos a curto e médio prazos, o grupo transferirá não apenas um, mas os quatro parques para o Maranhão. Com a transferência dos parques, o RN perderia de uma só vez R$ 440 milhões – cada parque está orçado em R$ 110 milhões.
    “Temos apoio do governo estadual, mas não temos retorno do governo federal (que concede os linhões). Estamos pedindo a transferência de uma usina eólica. Caso o atraso persista, levaremos as outras três. Não podemos arcar com os prejuízos”. As obras, afirma Sérgio, já começaram a ser executadas, mas isso não inviabilizaria a transferência. “As obras já começaram, mas no estágio em que estão é possível transferir. Não houve a concretagem da  base ainda”, explicou.

    Reportagem: Andrielle Mendes e Isaac Lira

    Após suspeita de fraude na Mega da Virada, leitor procura a Polícia Federal


    Deu na coluna de Claudio Humberto.
    Após nota publicada ontem (4) por esta Coluna, um leitor - que prefere não ser identificado - decidiu dar entrada com uma solicitação de investigação na Polícia Federal de Salvador, na Bahia, contra a Caixa Econômica Federal (CEF). Isso porque há suspeitas de fraudes na Mega da Virada, que premiou com R$ 81,5 milhões três acertadores das dezenas sorteadas na noite da última segunda-feira (31). A suspeita foi levantada após um usuário da rede social Orkut ter dito, 15 dias antes do sorteio, que um dos vencedores seria de Aparecida de Goiânia, em Goiás – o que de fato aconteceu. "Eu não deveria estar falando isso aqui. Mas meu tio é um dos diretores responsáveis pela 'Mega da Virada'. Podem printar”, escreveu o internauta, que apagou o post dias depois. Para o leitor baiano, é um “absurdo alguém dizer que a mega-sena sairia para algum lugar, isso se confirmar e ninguém fazer nada”. “Só saberemos a verdade se a Polícia Federal investigar. Eu joguei R$230 e tenho direito de saber se trata-se de uma máfia”, disse. Os outros dois premiados são das cidades de Franca (SP) e São Paulo. Em nota, a Caixa Econômica Federal negou qualquer possibilidade de fraude.


    Polícia suspeita que marido de fisiculturista morta tenha uma amante

    Fabiana Caggiano Paes passava férias em Natal com a família e morreu no hospital (Marcelo Mezalles/Reprodução)
    Foto: Marcelo Mezalles/Reprodução
    "Há suspeitas de que o marido da vítima tinha uma amante e isso pode ter sido o pivô de uma provável briga entre o casal". Essas são palavras do delegado Frank Albuquerque, que investiga a misteriosa morte da fisiculturista de Osasco (SP), Fabiana Caggiano Paes, 36 anos.

    Ainda conforme o delegado, essa suspeita foi repassada pela mãe da vítima em depoimento à Polícia depois que a misteriosa morte da paulista passou a ser investigada. "Isso ainda vai ser investigado", pondera Frank Albuquerque.

    Ele afirma também que a possibilidade de ter ocorrido uma luta corporal entre Alexandre Furtado Paes e sua esposa no apartamento 505 de um hotel do Tiol no último dia 27 de dezembro é o que o motivou a pedir uma perícia técnica no local do suposto crime. "Eu requisitei que fosse usado luminol no quarto do hotel para saber se há vestígios de sangue. Se houve luta corporal, certamente haverá bastante vestígios que podem ter sido maquiados antes de ter sido prestado socorro à mulher", explica o delegado.

    Polícia Federal investiga espionagem

    A Polícia Federal abriu investigação para apurar uma suposta rede de espionagem ilegal com atuação em Brasília que teria políticos e autoridades entre seus alvos. Suspeita-se que até a presidente Dilma Rousseff tenha sofrido tentativa de bisbilhotagem do grupo, além de senadores e deputados.

    As investigações foram abertas a partir de informações e documentos entregues ao Ministério Público Federal e ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, pelo deputado federal Miro Teixeira (PDT-RJ), em julho passado.

    Os documentos incluem extratos de ligações telefônicas e trocas de e-mail entre parlamentares do Congresso Nacional. Miro disse ao Estado que recolheu o material de um araponga, que se sentira ameaçado e estaria agora sob proteção policial.

    "Criou-se na capital do País, sob os olhos dos poderes da República, uma sociedade anônima de criminosos e violadores de dados pessoais" afirmou o deputado. "Não há cidadão nesse País, nem mesmo a presidente, seguro da sua privacidade e isso é muito ruim para a democracia." Contatada, a PF informou por meio de sua assessoria que abriu procedimento preliminar de investigação para verificar a autenticidade dos documentos, mas não comentará que encaminhamento deu ao caso para não atrapalhar as apurações. O órgão confirmou que há indícios veementes de crime no material apresentado e que o caso será apurado com rigor.