• Últimas Notícias

    quarta-feira, 30 de maio de 2012

    Aviões do Forró: Dinheiro faz milagres e deixa Solange top de linha

     
    Solange Almeida, vocalista da banda Aviões do Forró, realizou um ensaio fotográfico para uma marca de lingeries finas, semana passada dia (23), exibindo uma excelente forma física e esbanjando sensualidade e charme. A cantora divulgou as fotos em sua perfil no Twitter.

    Solange, que chegou a usar manequim 52, exibiu belas curvas durante o ensaio fotográfico realizado em uma pista de aviões, clara referência à banda e ao corpo definido da artista. A cantora fotografou usando a coleção 2012 da Diamantes Lingerie, empresa que tem sede em Frecheirinha, no Ceará, a 283 km de Fortaleza.

    Solange, que postou algumas fotos do ensaio e do makingoff em seu Twitter, foi muito elogiada pelos fãs.

    A cantora é evangélica se casa no religioso em setembro, com seu noivo Wagner.
    Confira mais fotos de Solange Almeida abaixo

    Solange Almeida, vocalista da banda Aviões do Forró, realizou um ensaio fotográfico para uma marca de lingeries finas, na última quarta-feira (23), exibindo uma excelente forma física e esbanjando sensualidade e charme. A cantora divulgou as fotos em sua perfil no Twitter.

    Solange, que chegou a usar manequim 52, exibiu belas curvas durante o ensaio fotográfico realizado em uma pista de aviões, clara referência à banda e ao corpo definido da artista. A cantora fotografou usando a coleção 2012 da Diamantes Lingerie, empresa que tem sede em Frecheirinha, no Ceará, a 283 km de Fortaleza.

    Solange, que postou algumas fotos do ensaio e do makingoff em seu Twitter, foi muito elogiada pelos fãs.

    A cantora se casa no religioso em setembro, com seu noivo Wagner.



    Um comentário:

    1. 29 de maio de 2012
      Ex-prefeito de Tangará é condenado pelo TCE a devolver R$ 1,6 milhão ao Fundef


      A omissão de prestar contas constitui em uma falta grave na administração publica. Em decorrência dessa situação, o plenário da Primeira Câmara do Tribunal de Contas condenou o ex-prefeito de Tangará, Giovannu César Pinheiro e Alves a ressarcir o valor de R$ 1.640.200,99, referente a irregularidades no Balancete do Fundef de 2004. O voto foi ainda pela imputação de multa no valor de 10% do débito imputado, além de encaminhar representação ao Ministério Público Estadual e Federal, para averiguação de possível existência de atos de improbidade administrativa e adoção das medidas jurídicas alusivas ao caso. “O dever de prestar contas é decorrência natural da administração como encargo de gestão de bens e interesses alheios. Se o administrar corresponde ao desempenho de um mandato de zelo e conservação de bens e interesses de outrem, manifesto é que quem o exerce deverá contas ao proprietário. No caso do administrador público, esse dever ainda assim se alteia, porque a gestão se refere aos bens e interesses da coletividade assume o caráter de um múnus público, isto é, de um encargo para com a comunidade”, explicou o presidente da 1ª Câmara, conselheiro Carlos Thompson, que ainda relatou os seguintes processos:

      Da prefeitura de Lagoa Salgada, prestação de contas relativa ao ano de 2006, sob a responsabilidade do sr. Francisco Canindé Freire. Em decorrência da omissão de prestar contas ao erário, o voto foi pela irregularidade das contas, impondo ao responsável o dever de ressarcir o valor de R$ 345.389,30, além de multa equivalente a 20% do débito imputado e representação junto ao Ministério Público Estadual. Da prefeitura de Lagoa de Pedras, prestação de contas 2006, sendo ordenador da despesa o sr. Pedro Rocha Pontes. O voto foi pela irregularidade, impondo ao responsável o dever de ressarcir aos cofres municipais a quantia de R$ 19.920,00, pela omissão de prestar contas. De São Miguel, prestação de contas referente a 2004, responsável Dario Vieira de Almeida. O voto foi pelo ressarcimento de R$ 51.679,20, em decorrência de irregularidades na aquisição de medicamentos e material de expediente. Dos 22 processos relatados pela conselheira Adélia Sales, um chamou especial atenção: a análise de processo licitatório da prefeitura de Upanema em 2011. Após a análise do edital e documentação enviada pela prefeitura, a licitação no valor de R$ 908.480,41 foi considerada ilegal em decorrência de uma série de irregularidades apuradas.

      Em vista da fiscalização, a prefeita Maria Stella Freire da Costa cancelou o certame e uma nova licitação foi iniciada, agora com o valor de R$ 47.995,18. “Houve uma redução imensa no valor da licitação, graças ao trabalho de fiscalização preventiva feito pelo Tribunal”, ressaltou o conselheiro Carlos Thompso O conselheiro Marco Antônio de Moraes Rêgo Montenegro relatou processos de Venha Ver, balancete do Fundef referente ao exercício de 1998, verificando o descumprimento do pagamento mínimo de 60% no pagamento do magistério. O voto foi pelo remanejamento, por parte do atual gestor, da quantia de R$ 122.592,42, gastos em despesas alheias a Educação, para a conta do Fundef. Processo semelhante, balancete do Fundef referente ao exercício de 2003 da prefeitura de Caicó, teve como voto a restituição da quantia de R$ 20.052,55 pelo gestor à época dos fatos e remanejamento de R$ 28.361,05, para a conta do Fundef pelo atual gestor municipal. Relatou ainda balancete do Fundef referente ao exercício de 2002 da prefeitura de Janduís. O voto foi pele restituição de R$ 12.242,06 a cargo do gestor à época e remanejamento de R$ 65.629,67 à conta do Fundef pelo atual gestor. Ainda cabem recursos ao Tribunal Pleno.

      Postado as 20:44
      Categoria: Caicó, Justiça/Judiciário, RN

      ResponderExcluir

    ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

    IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.